Governo e iniciativa privada debatem turismo para 2014

[Por Hôtelier News, 27/09/2011]
O Embratur (Instituto Brasileiro de Turismo) e o MTur (Ministério do Turismo) apresentaram na manhã desta terça-feira (27) a proposta dos roteiros das 12 cidades-sede dos jogos da Copa do Mundo Fifa de 2014 para empresas do setor de turismo. O objetivo foi alinhar as estratégias das iniciativas pública e privada na preparação de produtos turísticos que serão comercializados no mercado internacional, exclusivamente por ocasião do evento esportivo.
Flávio Dino, presidente do Embratur, que participou da abertura do encontro, explicou que os roteiros integrados serão referência para o mercado internacional daquilo que o Brasil pretende promover na ocasião da Copa. “Além das 12 cidades-sede, queremos garantir que outros municípios sejam visitados. Assim, conseguiremos alcançar nossas metas de aumentar o número de turistas e incrementar a participação do Brasil no mercado turístico estrangeiro”, diz o mandatário do Embratur.
Dino falou que a criação dos roteiros turísticos integrados está articulada com outras ações definidas a partir da matriz de responsabilidade da Copa do Mundo Fifa de 2014. “Essa é uma oportunidade não só para o Brasil, mas para toda a América do Sul, que trará desdobramentos para as próximas gerações. A partir dos investimentos e da grande exposição na mídia, o continente poderá ter um novo posicionamento no mundo”, afirma.
“É fundamental discutir assuntos relacionados ao tema para que se possa destacar o papel do segmento, dimensionar os desafios e lembrar que trabalhamos com metas com data marcada. Temos que aproveitar esse momento de modo criativo, participativo e com grande senso de responsabilidade para o nosso País”. Dino ressaltou que não se tratam de metas setoriais, são desafios dirigidos ao Brasil. “Além de uma bela nação, diversificada do ponto de vista cultural e natural, somos uma nação moderna, competente, realizadora, com boa infraestrutura e capacidade para atender as expectativas do mundo”.
Ainda sobre a criação dos roteiros integrados para a Copa, o presidente finalizou sua participação dizendo que o mais justo é que, além dos R$ 33 milhões que o Brasil irá receber de investimentos por ocasião do evento, os frutos positivos se espalhem por todos os municípios brasileiros, direta ou indiretamente. “A roteirização dos destinos pretende permitir que o País atinja seus objetivos no que se refere à conquista de novos atributos para a imagem, assegurando que essa cadeia produtiva do turismo possa participar ativamente”.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *