Turismo da América Latina tem queda de 41,1% no PIB; Brasil caiu 32,6%

A pandemia de covid-19 teve um impacto significativo nas comunidades em todo o mundo e um efeito devastador no setor de Viagens e Turismo. Há 30 anos, o Conselho Mundial de Viagens e Turismo (WTTC) quantifica o impacto econômico da indústria, destacando a importância do setor para a economia global.

A pesquisa anual de 2021, que abrange 185 países e economias e 25 regiões do mundo, revela toda a extensão e importância da crise causada pelo novo coronavírus para o setor em 2020. O PIB do Turismo do Brasil, por exemplo, caiu 32,6%, indo de US$ 115,7 bilhões em 2019 para US$ 78 bilhões em 2020. O PIB total do setor representava 7,7% no ano retrasado e passou a representar 5,5%.

Além disso, o País sofreu uma diminuição nos postos de trabalho de 19%. Em 2020 foram registrados 6,19 milhões de empregos contra 7,6 milhões em 2019, pré-pandemia. Os gastos do Turismo doméstico no Brasil caíram 35,6% e, no internacional, 39,1%.

No ano passado, 94% das receitas da atividade de viagens em Turismo vieram do doméstico – sendo de US$ 48,8 bilhões – e 6% do internacional, chegando a US$ 2,9 bilhões. Os gastos de viagens a lazer representaram US$ 45,7 bilhões (88%) e, os corporativos, US$ 6 bilhões (12%).

Em relação às chegadas de entrada no País, 33% corresponderam à Argentina, 9% ao Paraguai, 8% aos Estados Unidos, 6% ao Uruguai, 6% ao Chile e 39% ao restante dos países. Quanto às partidas de saída, 15% foram para Argentina, 14% aos EUA, 10% à França, 8% para Itália, 8% Portugal e 46% para o resto do mundo.

Já na América Latina como um todo, de acordo com o relatório da do órgão, foram 4 milhões de empregos perdidos na indústria do Turismo, o que significa uma diminuição de 23,4%, e uma queda no PIB do setor de 41,1%, representando US$ 110 bilhões.

 

 

Fonte: Panrotas