São Paulo volta atrás em plano de liberar comércio até as 22h

O governo de São Paulo recuou na decisão de liberar o comércio até às 22h a partir do dia 1° de junho, como tinha sido anunciado pelo governador João Doria (PSDB) na semana passada.

A decisão foi apresentada pelo governador e tem como motivo o aumento no número de internações causadas pela covid-19 no Estado – o índice voltou a ficar acima dos 80% – e de casos do coronavírus.

Com isso, as cidades paulistas permanecem na atual fase de flexibilização do Plano SP, que autoriza lojas, shoppings, academias, salões de beleza e restaurantes a operar até 21h, com capacidade de atendimento de até 40% de sua capacidade. A medida permanecerá em vigor, no mínimo, até o dia 13 de junho.

A fase atual do plano de flexibilização em São Paulo prevê:

 

– Ocupação máxima de 40% na capacidade de atendimento de estabelecimentos comerciais e serviços;

– Abertura às 6h e fechamento às 21h, por 15 horas diárias;

– Parques municipais e estaduais continuam com horário menor: das 6h às 18h;

– Toque de recolher das 21h às 5h

 

A partir do dia 14 de junho a determinação inclui:

– Recomendação de ocupação máxima em estabelecimentos comercias e serviços sobre para 60%;

– Abertura de das 6h às 22h, por 16 horas diárias

– Parques municipais e estaduais continuam funcionando entre 6h e 18h

– Toque de recolher das 22h às 5h.

 

 

Fonte: Panrotas