“Turismo será primeiro setor a se recuperar”, diz secretário de Turismo do Rio de Janeiro

Desde o final de novembro, o Rio de Janeiro tem um novo secretário de Turismo. O deputado Gustavo Tutuca assumiu o cargo e acredita que o Turismo terá um papel essencial na retomada da economia. Para ele, este será o primeiro setor a se recuperar e ajudará o estado a retomar a sua economia. Entre os seus planos está a elaboração de um calendário após a pandemia para estimular o fluxo de visitantes. Sobre o impacto do cancelamento de festas como o Réveillon e o Carnaval, Tutuca afirmou que as projeções para o verão mostram que o estado seguirá recebendo visitantes e movimentando o setor. “O Rio de Janeiro é um estado com muitas alternativas de diversão e lazer e o visitante, com certeza, saberá explorar o que temos aqui”, destacou.

 

MERCADO & EVENTOS – Você assumiu a Secretaria de Turismo do Rio de Janeiro no final de novembro. O setor é um dos mais afetados pelos efeitos da pandemia da Covid-19. Quais são os planos e projetos para o setor?

Gustavo Tutuca – Acredito que o Turismo será o primeiro setor da economia a se recuperar do impacto da pandemia e ajudará o estado do Rio de Janeiro na retomada. Para isso, precisamos trabalhar em estrutura e planejamento. Estamos divulgando os 10 mandamentos do Turismo Consciente, com instruções para serem seguidas por prestadores de serviço do turismo em todo o estado. Além disso, para o próximo ano, vamos preparar um calendário estadual de eventos pós-pandemia, em um cenário de vacinação já estabelecido. Assim, vamos garantir espaço e público para todos, de forma a não termos um calendário predatório, com eventos concorrendo pelo mesmo público e gerando prejuízos.

 

M&E – Recentemente a Setur lançou a plataforma digital “Rio, o seu melhor presente”. Como está adesão dos estabelecimentos e serviços?

Gustavo Tutuca – A adesão tem sido muito boa. Hoje, são quase 1000 cadastros em pouco mais de uma semana. Temos intensificado a divulgação, montando um mutirão para alcançar o máximo de prestadores de serviços turísticos possíveis. É importante destacar que todos os cadastros são verificados e aprovados para evitar qualquer tipo de engano ou fraude. Além disso, destacamos os estabelecimentos que cumprem com os 10 mandamentos do Turismo Consciente, pois é fundamental que o turista esteja integrado com estas regras para visitar o estado do Rio.

 

M&E – Com os números da Covid-19 em alta novamente, há um plano de ação para que isso não impacte o Turismo?

Gustavo Tutuca – O que estamos fazendo é manter o contato direto com as prefeituras e os representantes do setor, planejando as ações e preparando para este momento. O Turismo Consciente RJ, que resultou nos 10 mandamentos, foi uma destas parcerias, ouvindo também a Secretaria de Saúde e toda a comunidade científica e a OMS. Agora, com a realidade posta e os turistas vindo para o estado do Rio, vamos intensificar ainda mais as medidas de prevenção e atuar para atender qualquer necessidade emergencial.

 

M&E – O Rio de Janeiro foi pioneiro na criação de um selo com protocolos para a retomada do setor. Há hoje uma fiscalização sobre isso? Há restrições nas praias?

Gustavo Tutuca – Com certeza. Estamos em contato direto com os representantes do setor. E o cumprimento dos 10 mandamentos do Turismo Consciente é fundamental para que o turismo dê o retorno esperado por todos. Tanto da parte do poder público, quanto do setor de serviços turísticos, respeitar as medidas sanitárias vai garantir que a gente mantenha o turismo funcionando em todo o estado.

 

M&E – Você acredita que o cancelamento das festas de Réveillon por parte da prefeitura pode influenciar de forma negativa a ocupação dos hotéis neste verão?

Gustavo Tutuca – O que temos visto com números de ocupação dos hotéis não demonstra isso. O turista adapta o seu passeio de acordo com a realidade de momento. Tanto o turista que está vindo para a capital, quanto o que tem procurado o interior do estado terá alternativas para passar a virada do ano com segurança e tranquilidade. O Rio de Janeiro é um estado com muitas alternativas de diversão e lazer e o visitante, com certeza, saberá explorar o que temos aqui.

 

M&E – Como o senhor tem acompanhado casos como o de Búzios, em que a Justiça chegou a pedir o fechamento dos hotéis? Qual o posicionamento da Setur-RJ a respeito disso?

Gustavo Tutuca – Casos extremos, como o de Búzios, não resolvem o problema e só atrapalham a cidade, além do turismo. O nosso posicionamento desde o início foi de diálogo constante com a prefeitura. Fiz questão de colocar a estrutura da Secretaria e, a pedido do governador, também disponibilizamos a estrutura do Governo do Estado para ajudar em qualquer demanda emergencial para reverter a decisão. Esta será a postura do Governo do Estado em qualquer situação semelhante, trabalhando com diálogo e parceria com os municípios.

 

M&E – O Rio de Janeiro é uma das principais portas de entrada dos turistas estrangeiros no Brasil e, ao mesmo tempo, um dos cartões postais mais conhecidos do mundo. Qual será a estratégia da Setur-RJ para atrair mais visitantes estrangeiros a partir de 2021?

Gustavo Tutuca – Nós temos trabalhado em frentes visando o planejamento das atividades turísticas em 2021. Vamos montar um calendário estadual de eventos. Para isso, o Governo do Estado trouxe para dentro da estrutura da Secretaria de Turismo a Subsecretaria de Eventos, capitaneada pelo Marcelo Monfort. Vamos organizar a grande demanda de eventos represada para o pós-pandemia. Também vamos trabalhar a ampliação da divulgação do nosso estado em veículos de outros estados. É fundamental que a gente mostre ao turista que o estado do Rio de Janeiro está preparado para recebê-lo com segurança e respeitando as regras sanitárias. Além disso, a Secretaria irá participar de mais feiras nacionais e internacionais, levando as belezas do nosso estado e todo o trabalho que estamos fazendo de conscientização do setor turístico.

 

M&E – Destinos como Fernando de Noronha passaram a exigir teste de Covid para todos os turistas. O Rio de Janeiro pode tomar atitude semelhante? Você acredita que isso ajudaria a deixar o visitante mais seguro?

Gustavo Tutuca – Fernando de Noronha possui uma particularidade de ter apenas uma porta de entrada. Este fator facilita ao tomar este tipo de transição. Para o nosso estado, esta iniciativa é complexa e pode não surtir o efeito que desejamos. Mas, com o avanço do Plano Nacional de Vacinação e o índice de adesão, vamos pensar em alternativas para dar ainda mais segurança ao turista que visitará o nosso estado.

 

M&E – Dados da CNC mostram que o Rio de janeiro teve um prejuízo de R$ 36,8 bilhões em outubro. Isso apenas para exemplificar a situação das empresas do setor. Como a Setur-RJ pretende estimular o setor em 2021 para que os empregos e as empresas ligadas a atividade turística sejam preservados?

Gustavo Tutuca – Temos nos preocupado muito com esta situação. Sem os prestadores de serviço turísticos, não teremos turismo. O que temos feito é trabalhar junto à AgeRio, Agência Estadual de Fomento, para facilitar as condições de crédito para estes estabelecimentos, de forma que as condições sejam facilitadas para que possam sobreviver agora e recuperar os ganhos neste momento, sempre respeitando o Turismo Consciente, para ter condições de manter o seu negócio aberto. Tenho feito reuniões com a equipe da AgeRio e da Setur para que estas linhas de crédito estejam na rua e alcancem os empreendedores do turismo.

 

 

Fonte: Panrotas