Retorno de feiras e eventos em São Paulo é ‘essencial’, diz presidente de associação de turismo

Na próxima quarta-feira (26), uma audiência pública da Câmara Municipal de São Paulo vai debater a retomada das atividades dos setores de eventos e turismo da Capital, que estão entre os mais atingidos pela crise do novo coronavírus. As entidades do segmento garantem ter condições de retornar os trabalhos de forma segura e, desse jeito, reavivar postos de trabalho e movimentar a economia da cidade.

Em entrevista à Gazeta, o presidente do Instituto de Desenvolvimento, Turismo, Cultura, Esporte e Meio Ambiente (IDT-CEMA), Bruno Omori, disse que a retomada é essencial e terá reflexos na economia brasileira. “Somente as feiras movimentaram R$ 16 bilhões na cidade de São Paulo em 2019. É essencial o retorno das atividades econômicas e comerciais em São Paulo. É algo que vai influenciar todo o Brasil”, afirmou.

 

Leia mais:

‘É a maior crise na história da hotelaria mundial’, diz presidente de associação de turismo

De acordo com ele, o setor já tem todos os protocolos de segurança preparados e discutidos com órgãos do governo de São Paulo para garantir a segurança dos participantes. “Os eventos têm todos os protocolos de segurança para todos. Haveria um nível de risco muito parecido a ir a um supermercado. E, de repente, indo a um supermercado se tem mais contato próximo do que em um evento”, garantiu.

Omori também afirmou que a reabertura das atividades influenciaria diretamente no setor hoteleiro. “Todos os hotéis corporativos da cidade de São Paulo têm uma sala de convenção para pelo menos uma reunião corporativa, um treinamento, uma qualificação, um simpósio, um congresso, e assim por diante”.

 

Câmara:

A audiência pública na Câmara Municipal de São Paulo, que será realizada pela Comissão Permanente de Finanças e Orçamento, atende ao requerimento protocolado pelos vereadores Rodrigo Goulart (PSD) e Soninha Francine (Cidadania), que também integram a Comissão Extraordinária de Apoio ao Desenvolvimento do Turismo, do Lazer e da Gastronomia. O encontro também pretende debater como o poder público poderá auxiliar os setores nessa retomada das atividades.

Para a audiência pública, marcada para se iniciar às 9h e que será realizada de forma virtual, foram convidados o secretário municipal da Casa Civil, Orlando Lindório de Faria, o secretário municipal de Saúde, Edson Aparecido, e a coordenadora da Covisa (Coordenadoria de Vigilância em Saúde), Solange Maria de Saboia e Silva.

 

Fonte: Gazeta de S.Paulo