Alemanha organiza concertos com duas mil pessoas para testar risco de contaminação

Mais de duas mil pessoas participaram este sábado, na Alemanha, em três concertos para testar o melhor modelo que permita organizar este tipo de espectáculos, evitando a contaminação pelo novo coronavírus.

Segundo relata a agência AFP, o cantor pop alemão Tim Bendzko aceitou participar no estudo da Universidade de Halle e deu três “miniconcertos” durante o dia em Leipzig, testando várias variáveis: com um menor e um maior número de espectadores, maior ou menor distanciamento, e diferentes medidas de higiene.

Para limitar o contágio, apenas foi autorizada a participação de pessoas jovens e saudáveis com teste negativo para a covid-19.

“Este projecto deve lançar as bases para o retomar do sector do entretenimento, que é particularmente afectado pelas medidas restritivas que tiveram de ser tomadas devido à pandemia de covid-19”, explicou o ministro da Ciência do estado federado da Saxónia a uma televisão local.

Foram utilizados desinfectantes florescentes para registar as superfícies que eram mais tocadas pelas mãos dos participantes, e os investigadores da Universidade de Halle mediram a trajectória dos aerossóis projectados pelos participantes, partículas que, segundo os especialistas, desempenham um papel importante na contaminação.

“Senti-me um rato de laboratório”, comentou um dos voluntários, Robert Siemer.

Com os dados recolhidos, os investigadores pretendem desenvolver um modelo matemático que avalie os riscos de propagação do vírus numa sala de concertos. Os resultados do estudo deverão ser publicados no Outono.

Na Alemanha, foram registados 232.082 casos de covid-19 desde o começo da pandemia, com 9267 vitimas mortais. O número de novos casos de contaminação pelo novo coronavírus na Alemanha ultrapassou os 2.000 nas últimas 24 horas, o nível mais alto desde o final de Abril.

 

Fonte: Público/Folha de S.Paulo