Pesquisa RAIO X DO SETOR realizada pela ABEOC é divulgada em revista do mercado

A pesquisa RAIXO X DAS EMPRESAS DE EVENTOS NO BRASIL 2019, realizada pela ABEOC Brasil, foi divulgada na revista Reflexão e Análise  da Unedestinos – União Nacional de CVBs e Entidades de Destinos. A publicação contém artigos de especialistas e técnicos e a edição é relativa ao 1º Trimestre de 2020.

A pesquisa RAIXO X foi coordenada por Luiz Carlos Barboza, consultor especializado em competitividade, inovação e gestão para entidades empresariais e empresas, com destaque para turismo e eventos, e que fez a análise dos dados na revista.

 

 

Segue o material divulgado na íntegra:

 

Coordenei essa pesquisa para a ABEOC – Associação Brasileira de Empresas de Eventos. Os últimos dados desse setor remontam a 2013 através do estudo “Dimensionamento Econômico da Indústria de Eventos no Brasil” realizado pela ABEOC, SEBRAE, CNC e Universidade Federal Fluminense.

A pesquisa atual não tem a mesma dimensão pois trata-se de uma amostra representativa de 155 empresas do setor de todo o Brasil, sendo 52% de empresas asssociadas à ABEOC e 48 de não associadas. O nível de confi ança é de 95%, com margem de erro de 2% para cima ou para baixo.

Apresentamos alguns destaques da pesquisa, mas o conteúdo integral poderá ser obtido através do www.abeoc.org.br. Quanto ao perfi l da gestão da estrutura organizacional da empresa Pesquisa “RAIO X DAS EMPRESAS DE EVENTOS NO BRASIL – 2019”

 

Perfil típico da empresa de eventos no Brasil

 

98% são pequenas empresas (faturameto anual de até R$ 4,8 milhões).

Cerca de metade tem ação estadual/regional e a outra metade atua em todo Brasil,

sendo que 14% também atuam no exterior.

Empresas não associadas a ABEOC possuem em média 6,2 anos de existência e

82% das associadas ABEOC tem acima de 10 anos de vida.

Ocupam diretamente em médias 10 pessoas (incluindo os sócios).

20% das empresas apenas organizam eventos e 27% são apenas fornecedoras ou

prestadoras de serviços. As empresas que executam as duas funções alcançam 38%

do total. 81% tem um ou dois sócios.

O faturamento médio anual por empresa é de R$1.780.000,00

72% das empresas estão nos regimes de tributação MEI e SIMPLES.

 

Observa-se que cerca da metade das empresas apresentam indicadores positivos

(padrão aceitável + padrão superior) quanto a aplicação de melhores práticas de

gestão de fornecedores, colaboradores, funções e responsabilidades, normas e

padrões e melhoria de produtos e serviços. O destaque positivo foi em missão

no qual 73% das empresas tem desempenho razoável e superior. Já em relação a

análise de resultados somente 30% das empresas utilizam das melhores práticas

de gestão.

 

Quanto a Gestão de Clientes

Os dados são bastante positivos quanto a prática de identificar as necessidades

e expectativas de clientes, na qual 57% das empresas tem desempenho superior

e mais 24% tem desempenho razoável. Quanto ao registro e tratamento das

reclamações de clientes observa-se que 29% tem padrão razoável e 44% registram

padrão superior.

 

Quanto a Inovação e Novas Tecnologias

Ressalte-se que a grande maioria – 82% das empresas de eventos, conforme

gráfico abaixo, estão envidando esforços efetivos de inovação, sendo 45% num

padrão aceitável e mais 37% já em padrão superior.

Não obstante a esses grandes esforços de inovação, verifica-se que algumas

tecnologias ainda estão gradativamente sendo utilizadas, com exceção da

utilização aceitável e superior de redes sociais por 75% das empresas. As demais

tecnologias apresentam indicadores de menor utilização. As plataformas e

aplicativos de gestão – tão importantes para gerenciamento completo das

inúmeras atividades na execução de um evento – somente tem padrão razoável

e superior em 55% das empresas. Outra constatação de baixa utilização é o CRM –

Customer Relationship Management – empregado por 41% das empresas. Outras

tecnologias vem sendo gradativamente empregadas como reconhecimento

facial e utilização de influenciadores digitais.

Os dados evidenciam que as empresas precisam dedicar maiores recursos em

inovação e tecnologias para que possam estar mais competitivas num mercado

de concorrência tão acirrada.

 

Principais Dificuldades que as Empresas Enfrentam

As empresas relatam que a concorrência desleal e injusta (52%) é a maior das

dificuldades enfrentadas, seguida das dificuldades de contar com profissionais

qualificados (46%) e da carga tributária (46%). Também merecem destaque o

excesso de regulamentação e de burocracia por 32% das empresas.

 

Previsão de faturamento em 2020

Verifica-se que 73% das empresas esperam crescimento de faturamento em

  1. É um indíce de confiança empresarial bastante positivo. Em média, as

empresas esperam um aumento de 6,15% em suas receitas, contudo merece

destaque que 29% das empresas projetam crescer mais de 10%. Esses dados

www.unedestinos.com.br 27 corroboram a expectativa de que o setor de eventos no Brasil tem crescido em torno de 6,5% ao ano, nos anos recentes, mesmo com a crise econômica que o Brasil tem enfrentado.

 

Previsão do número de pessoas contratadas em 2020

Os dados da pesquisa revelam que 44% pretendem aumentar o número de

pessoas contratadas em 2020. Considerando todas as empresas, a média de

aumento de contratações é de 4,4%.

 

Principais Estratégias que as Empresas pretendem adotar para serem mais

competitivas

Essa é a agenda empresarial para se alcançar maior competitividade!

 

Avaliação do Ministro do Turismo e do Presidente da República.

Ambos tiveram avaliação positiva próxima de 60%, ao somarmos as respostas de

regular, bom excelente. A avaliação do Presidente da República ficou em 59% e

de 61% para o Ministro do Turismo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *