Veja como os travel bots estão revolucionando a indústria de viagens

[Por  Panrotas, 05/05/2017]
Que a inteligência artificial é a palavra da vez em 2017 ninguém duvida, e os resultados de sua aplicação na indústria de viagens já se mostram bastante sólidos. São várias companhias que utilizam assistentes virtuais de viagens (os chamados chatbots) no atendimento ao computador, e eles são capazes de interpretar o desejo do viajante e entregar a melhor resposta ou solção.
Alguns desses exemplos são os sistemas 30 Seconds to Fly, Trip Actions, Mezi e Hello Gbye, habilitados para realizarem reservas, com ou sem políticas corporativas integradas. Os serviços oferecidos podem até envolver a recomendação de restaurantes e entretenimento no destino a ser visitado, o que é atípico para os serviços de agências de viagens corporativas.
O uso dos bots (abreviação de ‘robôs’ em inglês) tem como alvo principal viajantes empresariais individuais e empresas menores, que já possuem programas ligeiramente geridos, acordos de fornecedor preferencial e itinerários de viagem simples. Mas torna-se mais complicado para um bot ter que lidar com sistemas globais de viagens, que envolvam parâmetros de política, interrupções de viagem frequentes e mudanças feitas pelos viajantes.
OBJETIVO
A ideia, é claro, é entregar agilidade e inteligência nas decisões de viagens, a um custo humano menor. Inteligências artificiais podem ser tão úteis quando agentes experientes, como explica o diretor de Inovção da Travelport, Nathan Bobbin. “Sempre conto a história da minha grande agente de viagens quando eu era um ‘explorador’da IBM e viajava cerca de 150 noites em um ano. Ela sabia tudo que eu precisava em minha agenda que mudava constantemente. Dizia ‘Sei que você iria para casa mas precisa ir a Tel Aviv (Israel). Então aqui está sua viagem. Você vai ficar no Marriott porque sei que ama os hotéis deles. Não peguei o voo diurno porque sei que você não gosta de assentos no corredor. Tem uma conexão extra, mas achei que não se importaria’ “, lembra.
“É esse tipo de experiência que está potencializando o sonho da inteligência artificial: personalização com mobilidade, permitindo que todas essas habilidades se unam e todos possam ter uma dessas brilhantes agentes de viagens em seus bolsos”, complementa.
As possibilidades são várias. Alertas personalizados em todas etapas da jornada; sistema inteligente de remarcação de reservas; recomendação de restaurantes, opções de entretenimento e academias.
HISTÓRICO
É claro que o sucesso do chatbots depende de um amplo acesso a dados e do fato de oferecer interfaces dinâmicas para os usuários, mas muitas empresas ainda não sabem o quanto o uso dessa tecnologia pode aprimorar a qualidade dos serviços oferecidos. Afinal, a inserção de máquinas baseadas em algoritmos nos aplicativos de chatbot – ou em qualquer ferramenta de reserva de viagens – aumenta consideravelmente o nível de personalização dos serviços para o usuário.
E caso esse sistema seja construído com base em dados históricos do viajante, bem como em suas preferências, programas de fidelidade e alianças aéreas que mais utiliza, sem deixar de considerar as escolhas que ele deixou de fazer em suas últimas viagens, fica muito mais fácil acertar no tipo de viagem a ser realizada.