MTur luta pela tributação de Uber e Airbnb, garante Beltrão

[Por Panrotas, 14/03/2017]
Mais um Fórum PANROTAS, mais uma presença de ministro do Turismo. Dessa vez estreante no evento, Marx Beltrão, há cerca de seis meses no cargo, prometeu uma série de medidas para o Brasil “destravar os gargalos no setor e deixar de ser um País de promessas e lamentações”. “Não tenho dúvida de que o Turismo reúne todas as condições para isso, por isso estou lado a lado com políticos, entidades e empresários do setor, e no próximo semestre as boas notícias começarão a aparecer, com o pacote de medidas que traçamos”, introduziu Beltrão, em discurso otimista.
O líder da pasta participou de painel neste 15º Fórum PANROTAS, no Grand Hyatt São Paulo, com líderes da indústria de cruzeiro, receptivo e operadora. Foram eles: Adrian Ursilli, da MSC, Mena Mota, da Grou Turismo, e Afonso Louro, da Visual Turismo. Beltrão antecipou que a primeira grande medida será aumentar a conectividade aérea por meio da abertura ao capital estrangeiro de 100% e trabalhar para dispensar o visto de turistas de mercados estratégicos, como Canadá, Japão Austrália e Estados Unidos. “Isso aumentaria em 25% o número de turistas desses países anualmente.”
Uma das perguntas de Mena Mota foi a respeito das plataformas de economia compartilhada, como Airbnb e Uber, e a concorrência que elas geram com players tradicionais. A resposta do ministro, que gerou aplausos da plateia, foi de que a pasta luta para colocar essas empresas no mesmo patamar tributário da hotelaria, do setor de transporte e de outros segmentos. “Não é justo que Airbnb, Uber e similares concorram sem taxação de tributos no Brasil. A tecnologia permite a entrada desses players, e eles são bem-vindos, desde que arquem com as mesmas condições da concorrência.”