Turismo de negócios deve movimentar mais de R$ 190 milhões até 2025

[Por  Brasilturis, 14/02/2017]
Entidades do setor estão otimistas com o mercado de turismo corporativo e de incentivos. De acordo com o Ministério do Turismo (MTur), o Brasil sediou, em 2016, uma média de 900 eventos – posicionando-o como uma das principais rotas internacionais. A expectativa é movimentar cerca de R$ 193 milhões até 2025 – segundo o Instituo Brasileiro de Turismo (Embratur). Sendo que o gasto médio diário deste público é de R$ 329,39 – ou seja, três vezes mais que o viajante de lazer.
“Além disso, para 2017 e 2018, a previsão é de um crescimento na área de eventos de pequena e curta duração promovidos por entidades de âmbito regional e nacional, visando agregar valor e fidelizar seus associados”, declarou Toni Sando, presidente executivo do São Paulo Convention & Visitors Bureau.
Mas apesar dos números favoráveis, o setor têm alguns desafios para os próximos anos. Entre eles: a maturidade do segmento, a promoção de mais conteúdo, a inclusão de recursos tecnológicos, a capacitação de mão de obra e a criação de novas experiências para os visitantes. Ou seja, é um momento de transformação onde as empresas terão que trazer um novo olhar para o segmento. Nesta nova realidade ter um belo estande, um bom buffet e distribuir brindes não são mais o foco para atrair o público.
E para incentivar ainda mais este mercado, o XII ESFE (Encontro do Setor de Feiras e Eventos) – considerado um dos principais eventos de turismo de negócios do Brasil – reunirá os principais líderes empresariais, no próximo dia 21/02 – em São Paulo, para discutir o atual cenário das feiras de negócios e seu momento de disrupção, assim como os novos conceitos e o crescente mercado de Live Marketing.
Painel de Debates:
09h00 às 10h30 – Painel Feiras – Momento de Disrupção
Disrupção é a palavra do momento para definir a interrupção do curso normal de um processo. Nos últimos dois anos, o setor de feiras e eventos tem passado por uma nova conjuntura marcada por grandes mudanças, aquisições, fusões, novos conceitos e a inclusão de mais conteúdo e experiências – visando a geração de resultados, tanto para os expositores como os visitantes.
“Mas para que essa mudança aconteça, plenamente, é primordial que os profissionais do segmento estejam conscientes desta transformação. E, principalmente, aproveitem o impacto positivo em seus negócios, deixando também um legado para as próximas gerações”, declarou Juan Pablo De Vera, VP sênior para América Latina da Reed Exhibitions.
E para discutir o tema, De Vera irá coordenar o Painel Feiras – Momento de Disrupção ao lado dos debatedores: Carlos Correa – Diretor Superintendente da APAS, Edmar Bull – Presidente da ABAV, Paulo Octavio – VP Executivo da Reed Exhibitions Alcantara Machado, Paulo Ventura – Diretor Superintendente do Expo Center Norte, Jean Pierre Cantaux – Diretor da Red Star Brasil.
16h00 às 17h30 – Painel M.I.C.E – Um mercado em quatro letras
Liderado por Toni Sando, o painel terá como foco o futuro do mercado de M.I.C.E. (sigla em inglês para Encontros, Incentivos, Conferências e Exibições).
Entre os temas que serão abordados esta o novo momento do setor, assim como a promoção de ações mais criativas para garantir o engajamento do público, sobretudo das novas gerações. “Estamos vivendo uma nova era, onde a palavra de ordem é a inovação e o ser humano. Por isso, as empresas precisam aprimorar suas ferramentas de comunicação, adotando, por exemplo, aplicativos para se conectar e gerar engajamento com seu público-alvo. Neste cenário, as pessoas querem comprar experiências e não simples eventos”, disse Sando.
Além de Sando, o Painel M.I.C.E. terá a participação dos debatedores: Eduardo Sanovicz – presidente da Associação Brasileira das Empresas Áreas (ABEAR), Celio Ashcar Jr. – sócio diretor da AktuellMix e Chairman da AMPRO, Juarez Carvalho – diretor da MCI Brasil, Gustavo Ene – CEO do Lide, e Fabio Rossi – diretor executivo da Flytour Eventos.
Os dois painéis terão moderação do empresário Otavio Neto – CEO do Grupo Radar & TV e idealizador do ESFE. “O setor de feiras e eventos tem um papel expressivo na economia brasileira, se não a mais importante ferramenta de promoção comercial para a indústria. No ESFE os participantes terão a oportunidade encontrar promotores de feiras, dirigentes de pavilhões de exposições, centros de convenções, companhias aéreas, redes hoteleiras, prestadores de serviços, agências de eventos, marketing e live marketing, hosted buyers, gestores de compras, facilities e de viagens de incentivo no mesmo ambiente e com os mesmos interesses corporativos”, finaliza Otavio.
Serviço:
XII Encontro do Setor de Feiras e Eventos e 6º Fórum do Setor de Feiras e Eventos.
Data: 21 de fevereiro de 2017.
Local: Golden Hall – WTC Convention Center – Avenida das Nações Unidas 12.551.
Informações: www.esfe.com.br