Trade baiano cobra providência para o Centro de Convenções

[Por Jornal de Turismo, 23/01/2017]
Representantes do trade turístico baiano estiveram reunidos na semana passada com o presidente da Salvador Destination, Paulo Gaudenzi. Na reunião, que também contou com a participação da imprensa, um dos pontos abordados foi o Centro de Convenções, que está fechado há dois anos e foi palco de um desabamento no ano passado.
Segundo o presidente da Associação Brasileira da Indústria de Hotéis da Bahia (ABIH-BA), Glicério Lemos, existe um estudo que mostra uma “perda de aproximadamente R$ 600 milhões por ano somente em diárias por conta da inoperância do Centro”. Considerando toda a cadeia produtiva, o valor passa de R$ 1 bilhão.
Glicério foi enfático ao afirmar que o governador tem responsabilidade direta nisso: “teve esse  problema de falta de manutenção e o governador que é o gerenciador”. Apesar das críticas, o presidente afirmou que há o desejo de que o Centro de Convenções não mude de lugar: “é um consenso entre as entidades”. Glicério Lemos ponderou que as entidades não querem “polemizar, mas trabalhar juntos e serem ouvidas”.
Roberto Duran, presidente do Conselho Baiano de Turismo, também criticou a falta de um centro de convenções na capital baiana. “Precisamos de outro centro de convenções, um menor, que a prefeitura podia viabilizar para cerca de quatro mil pessoas”. Congressos da área de saúde representam quase 70% de todos os congressos do mundo.