Com turismo criativo, Setur quer Brasília mais "conectada"

[Por  Panrotas, 03/01/2017]
Maior conectividade e variedade de segmentos integrando a economia do Turismo. Os conceitos do turismo criativo serão a base do trabalho da secretaria de Turismo do Distrito Federal para a capital do País até 2019. Sob responsabilidade de Jaime Recena desde janeiro de 2015, a pasta atuará de acordo com o Plano de Turismo Criativo do Distrito Federal, lançado em novembro do ano passado, que pretende posicionar a “marca Brasília em um cenário cada vez mais competitivo”. “Queremos fortalecer o setor na capital para que o brasileiro conheça a cidade”, afirmou Recena em entrevista ao Portal PANROTAS.
O plano, que foi feito em parceria com o Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas do DF (Sebrae) com investimento de R$ 95 mil por parte do órgão, teve a colaboração de representantes do trade local e se divide em quatro eixos de atuação: gestão; promoção, marketing e comunicação; produtos e serviços turísticos; e infraestrutura turística.
De acordo com o secretário, é preciso acompanhar as mudanças do setor, que têm acontecido em um ritmo intenso. “Queremos tratar o Turismo de forma mais inovadora e atual, nos adequando à busca das pessoas por experiências e novas formas de conhecer as cidades”, afirma Recena. Nesse sentido, ele destaca os planos de implementação de novas formas de locomoção, como rotas de caminhada e bicicleta integrados à infraestrutura da capital do País.
INICIATIVAS
Entre outras medidas, o documento prevê a realização de um concurso para eleger uma identidade visual que representará Brasília, com inspiração nos modelos de cidades como Nova York e Amsterdã. A ideia, de acordo com Recena, é que a população escolha a marca vencedora no aniversário da cidade, comemorado em 21 de abril.
A pretensão do plano, segundo o secretário, é mostrar Brasília para além da Esplanada dos Ministérios – e do turismo cívico que pode ser explorado na capital –, destacando outros atrativos paralelos à política. Com isso, o plano prevê incentivos para tornar a cidade uma locação de filmagens, com o projeto Brasília Cinematográfica, e a candidatura da cidade para a rede de Cidades Criativas da Unesco, criada em 2004.