Galeão é o primeiro aeroporto a conquistar a ISO 9001

[Por  Jornal de Turismo, 27/10/2017]
Após dois anos de preparo e diversas auditorias, o RIOgaleão recebeu a certificação ISO 9001:2015 e passa a ser o único aeroporto brasileiro a ter o registro internacional que atesta sua Gestão em Qualidade em Aeroportos. A Organização Mundial para Padronização, na sigla em inglês ISO, atua hoje em 170 países e padroniza serviços e produtos de instituições dos mais variados segmentos e negócios. O reconhecimento, emitido pela Bureau Veritas, é um marco no sistema operacional de um aeroporto e reforça o compromisso da concessionária em atender as chamadas de emergência e de segurança da forma ideal e no menor tempo possível se igualando assim aos melhores aeroportos do mundo.
Para o gerente de qualidade e resposta à emergência do RIOgaleão, Alessandro Oliveira, além de reconhecimento internacional, a conquista garante a manutenção de um alto padrão das atividades, assim como a correção de erros e uma melhor gestão empresarial. “Essa é uma certificação inédita entre os aeroportos do Brasil e muito difícil de ser conquistada por conta das rigorosas exigências. Mas nos empenhamos em sistematizar todos os processos, alinhar as equipes e preparar os 110 documentos que descrevessem a rotina da empresa. O RIOgaleão investiu R$ 2 bilhões em novas infraestruturas, modernização e segurança com apenas dois anos de operação. Agora com a ISO, a concessionária demonstra que esses investimentos se somam à busca da maior confiabilidade possível com a operação de segurança e resposta à emergência, tanto com relação aos passageiros como às empresas que aqui trabalham”.
Para ser reconhecida com a certificação ISO 9001:2015, a concessionária realizou a qualificação dos bombeiros, o alinhamento e treinamento das equipes de segurança e resposta à emergência para que o tempo de um atendimento seja feito de maneira satisfatória, assim como a preparação no caso de um eventual combate a incêndio, a contratação de médicos capacitados e o gerenciamento contínuo do trabalho dos profissionais terceirizados. Além disso, as viaturas de combate a incêndio tiveram que atender a todas as normas de segurança.