RIOgaleão divulga balanço da operação nos Jogos Olímpicos

Bem sucedida e reconhecida pela opinião pública. Esse foi o resultado da operação nos Jogos Rio 2016, divulgado nesta quinta-feira (22) pela RioGaleão, a empresa que administra o Aeroporto Internacional Tom Jobim. Segundo os dados, a previsão inicial, de que 1,5 milhão de passageiros chegassem à cidade, foi superada. Ao todo, entre o período olímpico e paralímpico, estima-se que 2,5 milhões de viajantes passaram pelo terminal. Ao todo, o aeroporto registrou 18.591 pousos e decolagens, sendo 1.617 voos extras.
Na avaliação da concessionária, um dos grandes acertos foi o check-in remoto montado na Vila dos Atletas. Nos dias de pico, as delegações puderam fazer o check-in, despachar as bagagens e emitir os bilhetes de embarque com antecedência.  No total, foram 234.230 bagagens das famílias olímpica e paraolímpica.
Já nas Paralimpíadas, o principal desafio foi a quantidade de pessoas com deficiência e cadeiras de rodas que passaram pelo aeroporto. Apesar da circulação de passageiros, nesse período, ter sido menor do que nas Olimpíadas, a complexidade da operação foi o desafio. O número de pessoas em cadeiras de rodas que circularam pelos terminais chegou a 3.335, 66% maior do que a previsão inicial. Somente no dia 19 de setembro, um dia após o fim dos Jogos Paralímpicos, foram mais de 1.000 quando, em um dia normal, esse número é de, aproximadamente, 85 pessoas em cadeiras de rodas.
(Jornal de Turismo. 23/09/16)