MTur enxerga legado da Olimpíada ao Mice do Brasil

[Por  Panrotas. 15/08/2016]
O Ministério do Turismo considera a renovação do principal centro de convenções do Rio de Janeiro, o Riocentro, e as melhorias urbanas promovidas na Barra da Tijuca como os dois principais legados da Olimpíada ao Turismo de negócios e ao mercado de Mice do Brasil.
Localizado ao lado da Vila Olímpica e próximo ao Núcleo do Parque Olímpico, o Riocentro atualmente é palco de competições olímpicas, mas quando volta a sediar eventos, deve estar mais inclusivo graças às adaptações pelas quais passou, conforme acredita o Ministério, que agora tem participação no empreendimento.
O Riocentro recebeu R$ 6,5 milhões da pasta justamente para oferecer mais oportunidades ao mercado de Mice. Em contrapartida, o MTur passou a deter 7,3 milhões de ações ordinárias da Riocentro S.A. (ou a 9,24% do capital social da empresa).
Além de um novo pavilhão, o centro, que recebe cerca de 90 eventos ao ano, passou por obras de revitalização e adaptações para que se mantenha como sede dos eventos que tem recebido nos últimos anos, como a Conferência das Nações Unidas sobre Desenvolvimento Sustentável Rio+20, em 2012, e o International Broadcast Centre (IBC), da Copa do Mundo de 2014.
“O Turismo de Negócios e Eventos é um importante segmento no Brasil e o Ministério do Turismo trabalha para melhorar a infraestrutura de centros de convenção em todo o País com obras de ampliação e reforma, com o intuito de reforçar essa importante área do Turismo nacional”, explicou o ministro interino do Turismo, Alberto Alves.
Segundo a Demanda Turística Internacional da pasta, cerca de 20% dos estrangeiros vieram ao Brasil motivados por negócios, eventos e convenções em 2015.
Além do centro de convenções, o legado olímpico da mobilidade deve tornar a cidade mais atraente a empresas em busca de estabelecimentos para eventos. Na Barra da Tijuca, por exemplo, foram feitas melhorias urbanas que vão desde acessibilidade a iluminação e duplicação de vias (Abelardo Bueno e Salvador Allende), e ainda a implantação de corredor para tráfego do BRT.
Findada a Olimpíada, os negócios poderão aproveitar a construção dos terminais Olímpico (conexão dos BRTs Transolímpica e Transcarioca) e do Recreio e o Complexo Viário do Parque Olímpico, que passa a integrar o próprio parque à Vila dos Atletas, ao Parque dos Atletas e ao Riocentro.