Profissional de eventos só sobrevive ao "criar emoções"

[Por  Panrotas, 04/07/2016]
Logística, alimentação e milhares detalhes. Essas são algumas atividades que tomam a mente da maioria das pessoas quando elas pensam sobre o profissional de eventos. Atividades estereotipadas que definem os profissionais como simples organizadores e colocam em xeque a sua relevância em um futuro próximo.
Para Avinash Chandarana, do MCI Group, a alteração de rótulos é essencial para a sobrevivência de quem trabalha com eventos. E esse rótulos só serão transformados com a mudança de postura diante do público. “Gastamos muito tempo construindo um edifício e esquecemos de criar um lar”, exemplificou ele, durante o MPI Lamec, que acontece junto à segunda edição do Unecongresso.
Com a analogia, Chandarana quis evidenciar a importância das emoções. “Para impactar o público e alcançar o objetivo do cliente é preciso induzir emoções e criar sentimentos”, afirmou. “As pessoas podem até esquecer o que você diz, mas elas dificilmente esquecerão o que você a fez sentir”. Dados apontam que 70% do conhecimento retido pelo ser humano vem de experiências emersivas.
Experiências de sucessos dependem do quanto o profissional conhece o público. “Saber trabalhar com diferentes culturas e gerações é cada vez mais importante. Afinal, a plateia não se engaja, se interessa e aprende da mesma forma”, alertou. Segundo o executivo, o profissional de eventos deve assumir o ponto de vista do público para personalizar habilidades e, então, emocionar.
Acompanhe agora outras dicas do norte-americano para induzir emoções nos eventos:

  • Esteja preparado para desaprender, reaprender e adaptar conhecimento;
  • Estabeleça diálogo e desenvolva relação de confiança com o seu cliente;
  • Não espere o futuro chegar para desenvolver a sua estratégia;
  • Não siga a mesma receita para todos os eventos que você faz;
  • Compreenda o digital e crie conexões humanas;
  • Sempre enxergue além dos detalhes.