Tendência: uberização ajuda a melhorar procedimentos

[Por Mercado e Eventos, 28/06/2016]
Com a maior adesão das tecnologias, o mercado de Turismo se transformou e para acompanhar o ritmo é preciso que as empresas se adaptem. É o que apontou o painel “O cenário das TMCs no mundo digital”, do segundo dia da Conferência GBTA 2016, que aconteceu em São Paulo entre os dias 27 e 28 de junho. Para Carlos Prado, CEO da Tour House, muitas TMCs têm aversão à tecnologias, entretanto, as ferramentas são necessárias e devem ser usadas de forma inteligente. “Estes recursos tornam os negócios mais ágeis e eficientes. No Brasil muitas empresas e segmentos, como a hotelaria, por exemplo, são muito atrasados neste quesito”, enfatiza Prado.
Antonio Fernando Slomp, CEO da Avipam, completa: “Hoje temos uma abundância de tecnologia. O mais difícil é escolher o que mais atende às necessidades. Nosso papel como TMC é oferecer mais produtos, colocando aplicativos como agregadores de dados”, explica.
Uberização é tendência – Indispensável dizer que novos modelos de negócios, voltados para a economia compartilhada e colaborativa, têm dominado o mercado lentamente. A exemplo do Uber e do Airbnb. Hitalo Leite, coordenador de Viagens, da Redbull no Brasil, lembra que o modelo tem vantagens e desvantagens. “Estes aplicativos sinalizam meios de fazer negócios com serviços mais personalizados, oferecendo economia, eficiência e interação. Na contramão, enfrentam problemas como regulamentação, segurança e qualidade. Como buscam preço, muitas vezes a qualidade do serviço cai”, esclarece.
Para Carlos Prado a uberização é tendência e deve continuar crescendo. “É importante observar como mercado está reagindo e nos adaptar através da análise do comportamento das novas gerações. Hoje, o produto tem que oferecer não apenas serviço, mas também experiência”, ressalta. Slomp adiciona: “Se é uma necessidade do cliente, é uma oportunidade. A demanda dita o caminhar”.
Prado ainda salientou que os antigos modelos de comercialização não deixam de existir. “Sempre existirá o tradicional e o novo. Temos que trabalhar a necessidade do mercado. Entretanto, a uberização é uma provocação que ajuda a melhorar”, completa.