Turismo de eventos aumenta a ocupação de hotéis em Santa Catarina

[Por Diário Catarinense, 19/11/2015]
Típico das décadas de 1980 e 1990, quando o turismo ainda engatinhava em Santa Catarina, o cenário de hotéis vazios e fechados fora da temporada de verão torna-se menos comum no litoral do Estado. Para escapar da sazonalidade, a indústria hoteleira tem investido no turismo de eventos e os resultados estão aparecendo. Exemplo disso é o maior complexo hoteleiro da Capital: no Costão do Santinho, a taxa de ocupação ficou em 100% nos fins de semana entre maio e setembro, auge do inverno no Sul do país.
O diretor comercial do resort, Rubens Régis credita o aumento de 10% no número de hóspedes em relação a 2014 aos eventos, tanto temáticos quanto corporativos. No período, o complexo sediou 122 reuniões – de congressos a encontros empresariais.
– Esses eventos temáticos geram movimento, independente da condição do tempo. Precisamos estar sempre em busca de inovação para quebrar esse paradigma do turismo sazonal – diz Régis.
Em setembro, mesmo em ano de crise financeira, o faturamento do Costão do Santinho ficou acima do registrado em janeiro, mês considerado o mais lucrativo para os hoteleiros do litoral.
– Claro que em janeiro ainda havia um reflexo negativo do câmbio (que estava valorizado), com muitos brasileiros fora do país. Mas os eventos foram importantes para esse número – afirma o diretor.
Inauguração gera expectativa
Prevista para o mês de novembro após muitos atrasos, a inauguração do Centro de Eventos de Canasvieiras (que terá o nome do ex-governador Luiz Henrique da Silveira) é aguardada com expectativa pelo setor. Segundo Floriani, o espaço será um marco para a região Norte da Ilha:
— Vai ser uma coisa fantástica. A atração de eventos para aquela região vai acabar com a sazonalidade de muitos hotéis no Norte da Ilha, que acabavam ficando vazios ou fechavam no meio do ano.
De acordo com o secretário estadual de Planejamento, Murilo Flores, os atrasos ocorreram em razão de melhorias nas redes da Casan e também para adequar o projeto aos pedidos do trade turístico da cidade.
— Para o Norte da Ilha, vai ser uma história antes e outras depois da inauguração. E o espaço já vai ser inaugurado em sua plenitude. Estamos preparando um grande evento e já há uma agenda de eventos para toda a temporada de verão — diz Flores, salientando que o espaço poderá receber de 5 mil a 6 mil pessoas ao mesmo tempo.
Redução do imposto
Para a prefeitura, um ponto importante que ajuda na captação de eventos nacionais e internacionais para a cidade é a redução do Imposto Sobre Serviços (ISS). Enquanto a maioria das cidades brasileiras cobra taxa de 5%, desde janeiro do ano passado este valor foi reduzido para 2% na Capital.
“Florianópolis está mais competitiva. A taxa alta era um dos principais entraves na captação de feiras e congressos, em comparação a outras cidades consideradas concorrentes”, afirma a Secretaria de Turismo (Setur) da Capital, em nota.