Fortalecimento do segmento MICE é debatido na 43ª ABAV EXPO

[Por Embratur, 25/09/2015]
Com o objetivo de fortalecer o Programa de Apoio a Captação e Promoção de Eventos Internacionais, o presidente da Embratur (Instituto Brasileiro de Turismo), Vinícius Lummertz, ministrou o painel MICE “Estratégias e Parcerias Público Privadas”, juntamente com os presidentes dos conventions Bureau do Rio de Janeiro e de São Paulo, Michael Nagy e Toni Sando, respectivamente, e defendeu, durante a 43ª edição da ABAV Expo, que este é o momento de trocar experiência e fomentar a cadeia produtiva do segmento de negócios e eventos.
“Ações pontuais e certeiras otimizam o trabalho de promoção e divulgação do Brasil como destino de negócios. Somos o 10º País no ranking ICCA que mais realiza eventos internacionais. Para continuar crescendo e mostrar ainda mais a força do Brasil, é preciso ir além e apostar nas parcerias público-privadas”, disse o presidente.
Lummertz pediu aos representantes do segmento que aumentem ainda mais a troca de informações e a confiança entre os parceiros, com o intuito de incrementar o setor. “Precisamos de uma conscientização política para criarmos uma pauta única para o turismo. A defesa de fortalecimento do segmento de Negócios e Eventos é fundamental para colocarmos o Brasil em destaque e atrair mais investimentos, para que mais turistas visitem nosso País”, destacou.
Segmento MICE
O Brasil está entre os 10 países que mais recebem eventos internacionais. O número de cidades brasileiras que receberam eventos internacionais em 2014 registrou crescimento em relação a 2013. Conforme dados da ICCA (International Congress & Convention Association), 61 municípios receberam eventos internacionais em 2014 contra 55 no ano anterior.
Os eventos do segmento MICE movimentam cerca de US$ 30 bilhões em todo o mundo. Pesquisa realizada pela Fundação Getúlio Vargas, a pedido da Embratur em 2014, revela que os turistas de Negócios e Eventos gastam em média US$ 329,39 por dia no Brasil. Esse número é quatro vezes maior que as despesas dos visitantes internacionais que visitam o País em viagens de Lazer, que tem um gasto diário de US$ 73,77.