Brasil e Peru vão estimular turismo entre os dois países

[Por Mercado e Eventos, 20/08/2015]
Os governos do Brasil e do Peru vão intensificar entendimentos para desobstruir gargalos – em especial os burocráticos e aumentar ainda mais o fluxo turístico entre os dois países. As ações necessárias começaram a ser debatidas na tarde desta quarta-feira (19), durante encontro entre o presidente da Embratur (Instituto Brasileiro de Turismo), Vinícius Lummertz, e a vice-ministra do Comércio Exterior e Turismo do Peru, Maria Carmen Zamora.
“Tudo o que estiver ao nosso alcance para buscar remover esses entraves, nós vamos fazer, inclusive buscando uma intermediação para obter o apoio político necessário”, resumiu Lummertz. O presidente da Embratur está em Lima, a capital peruana, para participar do Workshop Brasil Sensacional. Realizado pelo Instituto em parceira com a Embaixada do Brasil no Peru e secretarias estaduais e municipais de diversos Estados brasileiros, além de representantes do trade turístico, o evento inclui também contatos com operadores peruanos interessados em divulgar o Brasil naquele país.
Lummertz e a vice-ministra Zamora abordaram em especial as dificuldades para implantação de uma rotina na aduana entre os dois países, depois da conclusão da rodovia bi-oceânica, que faz a ligação através de via asfaltada entre o Brasil e o Peru, na altura do Acre. Eles também conversaram sobre a pouca conectividade entre voos dos dois países. Hoje, há 42 voos semanais entre Lima e cidades brasileiras. “Vamos tentar melhorar esse item da conectividade de voos, através de mais diálogo dos dois países com as empresas aéreas. Turismo é uma atividade que envolve fluxo de pessoas em duas mãos. O que for bom para o Brasil, será para o Peru, e vice-versa”, comentou Zamora.
Além de contatos com a imprensa, Lummertz terá hoje (20) novos encontros com operadoras de turismo e participará, no final do dia, de reunião do Conselho Diretivo do Comitê Descubra Brasil. Em 2014, conforme dados do Ministério do Turismo, 117 mil peruanos visitaram o Brasil, um aumento de 19% em relação ao ano anterior.