ABEOC Brasil reivindica presença em reunião da Comissão de Licitações da Câmara

A Associação Brasileira de Empresas de Eventos -ABEOC Brasil, através de sua vice-presidente de Articulação Política, Adriana Homem de Carvalho, esteve reunida com o deputado federal Julio Lopes (RJ), 1º vice-presidente da Comissão Temporária de Modernização da Lei de Licitações e Contratos (LEI 8.666/1993), com o objetivo de entregar o pleito do setor de eventos, que é a obrigatoriedade de licitação técnica e preço para a contratação de serviços de organização de eventos pela Administração Pública.

Vice-presidente da ABEOC Brasil, Adriana Homem Carvalho e deputado federal Júlio Lopes.

O encontro aconteceu na sexta-feira dia 24 de julho, no gabinete do deputado, quando foi entregue o Dimensionamento do Setor de Eventos e a 3ª Edição da Revista Eventos Brasil. Na ocasião foi reivindicada a participação da presidência da ABEOC Brasil em reunião da Comissão para defender a proposta da entidade.
“A ABEOC Brasil irá continuar com todas as suas articulações em prol do setor. É inadmissível que um segmento que emprega 7,5 milhões e fatura R$ 209,2 bilhões não seja levado a sério. Não podemos aceitar que as licitações sejam medidas unicamente pelo menor preço”, afirma a presidente da ABEOC Brasil, Ana Cláudia Bitencourt. A licitação por “técnica e preço”, critério de julgamento que busca combinar fatores de qualidade e de onerosidade, segundo uma ponderação estabelecida no ato convocatório, já é exigida em licitações na área da Publicidade, por exemplo.
Em recente participação em programa da Rádio Bandeirantes (RS), ao lado da presidente da ABEOC, Dr. Gustavo Vearick explicou que contratar pelo menor preço pode se tornar mais oneroso, pois muitas vezes o contratado não honra o certame e acaba perdendo o contrato, o que gera nova licitação. Estas empresas que não honram seus contratos não deveriam mais participar de licitações, mas vez após vez elas acabam entrando por não serem autuadas por falta de fiscalização.