Como estimular o turismo náutico no Brasil

[Por Ministério do Turismo, 05/05/2015]
O ministro do Turismo, Henrique Alves, recebeu nesta terça-feira (5) representantes da Associação Brasileira de Cruzeiros Marítimos (Abremar) para uma audiência sobre os desafios do turismo náutico. A redução da oferta de cruzeiros marítimos no Brasil foi um dos temas tratados na reunião, assim como a necessidade de ampliar os destinos.
O Brasil tem hoje 10 navios de cruzeiros para o turismo náutico, metade do que havia há quatro anos. O presidente da Abremar, Marco Ferraz, relacionou o momento vivido pelo segmento à falta de uma legislação clara e altos custos de mercado. Com interesse de retomar o crescimento, o segmento pediu apoio ao ministro Henrique Alves na solução de questões que impactam o setor.
“Temos muito o que mostrar para estrangeiros e brasileiros que saem do Brasil para o Caribe e outros destinos, enquanto temos praias paradisíacas aqui no nosso país”, disse Henrique Alves.
O ministro falou sobre a importância dos cruzeiros para as economias locais e para o desenvolvimento econômico do país. “Um segmento que movimenta mais de R$ 1 bilhão durante uma temporada e gera mais de 15 mil empregos tem um grande potencial econômico, precisamos posicionar o produto e destravar as amarras que o impedem de crescer”, disse o ministro. A intenção é reverter essa curva descendente de crescimento e criar novas rotas, como uma específica para o Nordeste, para aproveitar o potencial da costa brasileira.
De acordo com um estudo realizado pela Fundação Getulio Vargas, a temporada de cruzeiros movimentou R$ 102,9 milhões no Rio de Janeiro, R$ 86,6 milhões em Santos e R$ 43,9 milhões, em Salvador. “A chegada de um cruzeiro dessas dimensões em um destino movimenta toda a economia local”, afirmou.