Brasil será sede pela primeira vez do GICCA, maior congresso Ibero-Americano de tratamento da surdez

[Por Diario do Litoral,18/05/2015]
O GICCA – VI Congresso Ibero-Americano de Implantes Cocleares e Ciências Afins, que acontecerá pela primeira vez no Brasil, presidido pelo Prof. Dr. Ricardo Ferreira Bento, professor titular da Otorrinolaringologia da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo e diretor do Grupo de Próteses Implantáveis HC-FMUSP, ganhará um dia especial, 21 de maio, às 19 horas, no Centro de Convenções Rebouças, para pacientes com deficiência auditiva.
“Temos mais de 11 mil pacientes atendidos pelo Reouvir, o Despertar da Terceira Idade e já estamos chegando aos 1.300 implantados, que conseguiram entrar no mundo sonoro através do implante coclear. E, nesses quase 20 anos em atendimento com os deficientes auditivos, temos conseguido muitos benefícios para eles junto aos nossos governantes. Porém, ainda, precisa haver melhorias nas políticas públicas que os atendam em pedidos feitos para melhorarem sua qualidade de vida”, diz o professor.
Com representantes do governo em escala federal, estadual e municipal e médicos, o Encontro terá deficientes auditivos de todas as idades e várias perguntas foram gravadas por eles em vídeo que será apresentado durante o evento sobre as necessidades que sentem.
Segundo a deputada Mara Gabrilli, por exemplo, há uma emenda que deve ser votada nas próximas semanas em Brasília, retirando as cotas de deficiência dos empregados de grandes empresas. Isso, sem falar na necessidade, tanto das escolas públicas como particulares, em capacitar seus professores para aulas de reforço e atendimento de deficientes auditivos que usam qualquer tipo de prótese – a convencional ou o implante coclear – para melhor aprendizado na sala de aula. Um direito, diga-se de passagem, já conquistado legalmente que não vem sendo cumprido.
“A surdez é uma das patologias mais descapacitantes do meio social. A pessoa que perde a audição, geralmente, se isola do convívio familiar, dos amigos e esse quadro, hoje, há reversão. O que nossos pacientes pedirão aos políticos são melhorias como a inserção de legendas em peças de teatro, filmes nacionais e dublados em televisão – não acompanham o desenrolar da história porque são muitos atores falando ao mesmo tempo; isenção de impostos na compra de automóveis – a deficiência auditiva é a única que não é contemplada com esse benefício – e maior cuidado com implantados em viagens nacionais e internacionais no momento do embarque ao avião porque passam por revista separada, mesmo estando com o comprovante do implante inserido cirurgicamente em mãos”, diz ele.
GICCA, pela primeira vez no Brasil
Com palestrantes convidados do Marrocos, Colômbia, Espanha, Estados Unidos, Uruguai, Paraguai, Suíça, Cuba, México, França, Canadá, Portugal, Argentina, Austrália, Venezuela, Chile, Equador, Áustria, Alemanha, Holanda, Grécia e de todo o Brasil, oGICCA – VI Congresso Ibero-Americano de Implantes Cocleares e Ciências Afins, acontecerá no Brasil pela primeira vez, reunindo pesquisas, trabalhos e tecnologia de ponta, no Centro de Convenções Rebouças em São Paulo.
“É a primeira vez que um congresso dessa magnitude sobre surdez, cirurgias e tratamentos possíveis, pesquisas com células-tronco será realizado no Brasil e o nosso grupo foi escolhido para coordená-lo e sediá-lo, o que muito nos honra. Serão quatro dias de muito aprendizado, troca de experiências, onde propiciaremos as melhores aulas, cirurgias ao vivo e oficinas tanto para médicos, fonoaudiólogos, psicólogos e profissionais da saúde. Nelas, todos os profissionais ligados ao implante coclear e próteses totalmente implantáveis poderão melhorar suas técnicas e tratamentos”, finaliza o professor e presidente do evento.
Sede oficial
São Paulo foi escolhida como sede oficial do evento durante o GICCA 2013, que aconteceu em Cancun, no México. O congresso, que acontece anualmente, foi organizado pelos Profs. Drs. Ricardo Ferreira Bento, Rubens Vuono de Brito Neto, Rodolfo Penna Lima, Dr. Robinson Koji Tsuji, Dras. Anna Carolina Fonseca e Jeanne Oiticica e pelas fonoaudiólogas Valéria Goffi, Ana Tereza Magalhães, Isabela Jardim e Danielle Penna Lima.
Fundado por representantes de países ibero-americanos e presidido, atualmente, pelo Prof. Antonio Soda Merhy – o Prof. Dr. Ricardo Ferreira Bento tomará posse durante a solenidade de abertura –, o Grupo Ibero-americano de Implantes Cocleares e Ciências Afins tem como objetivo promover o desenvolvimento, formação, investigação e divulgação de médicos, de reabilitação e de avanços tecnológicos em conjunto com dispositivos implantáveis.
O I Encontro Nacional de Deficientes Auditivos, Médicos e Personalidades do Poder Público acontecerá no dia 21 de maio, às 19 horas, no Centro de Convenções Rebouças, em São Paulo – Av. Dr. Eneas de Carvalho Aguiar, 23, Pinheiros, São Paulo. Mais de 200 deficientes auditivos confirmaram a presença.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *