Cresce o espaço para seminários e convenções entre as redes hoteleiras

[DCI, 23/02/2015]
Foi-se o tempo em que hotéis dependiam apenas do turista de lazer. Hoje, o setor já responde por 17,9% dos espaços para seminários e convenções no Brasil e a perspectiva é que o número suba ainda mais. Para especialistas, a área de eventos pode responder por até 70% do faturamento.
A viabilidade de hotéis depende da realização de reuniões, congressos, shows ou mesmo feiras paralelas aos eventos, segundo a presidente da Associação Brasileira de Empresas de Eventos (ABEOC), Ana Cláudia Bitencourt.
“O segmento é uma alternativa para combater a sazonalidade do turismo, por isso a expectativa é que a infraestrutura em hotéis aumente”, explica a executiva.
A rede Royal Palm Hotels & Resorts prevê a inauguração de sete novos projetos até 2018, todos com espaços para eventos. Em média, o segmento representa 70% do faturamento da rede, o que corresponde a mais de R$ 80 milhões.
O projeto mais promissor é o centro de convenções e dois novos hotéis (de perfis diferentes) que estarão localizados em Campinas ao lado do complexo Royal Palm Plaza. “Com isso, pretendemos atingir a demanda reprimida nos diferentes perfis de eventos”, diz o diretor comercial da rede, Cesar Nunes.
Perspectiva
A expectativa da rede é crescer 8% no ano e realizar 750 eventos. “Levamos em consideração o cenário econômico”, afirma. Para ele, o número de produções deve aumentar, no entanto, o tamanho deles será menor.
Entre as estratégias para o ano, Nunes comenta que a flexibilização dos contratos é essencial. “Mesmo os já fechados, podem ser remanejados para reduzir o custo para as empresas e ficar no orçamento reduzido.” Dessa forma, a fidelização e o fechamento do negócio são garantidos.
Segundo o executivo, o perfil do cliente mudou. “Os eventos são fechados com menos antecedência, o que exige mais flexibilidade de quem administra o espaço”. Outro fator que o diretor ressalta é que com a alta do dólar, os eventos que nos anos anteriores foram realizados fora do Brasil devem voltar, o que irá aumentar a demanda por locais.
A rede Bourbon possui 14 empreendimentos e mais de 12 mil metros quadrados em estrutura para convenções no Brasil, além de gerenciar o maior centro de convenções do Paraguai com capacidade para até 3 mil pessoas.
Os espaços da rede que mais se destacam são o de Atibaia (SP) e Foz do Iguaçu (PR). O primeiro com área de 12 mil metros quadrados, o segundo com um 5 mil metros quadrados. O diretor de operações da Rede Bourbon, José Ozanir Castilhos da Rosa, contou que a expectativa é que com a redução de orçamento das empresas, os hotéis localizados em cidades próximas a São Paulo serão beneficiados.
“Assim, o Bourbon Atibaia deve ter alta de 15% em 2015.” Já o Bourbon Cataratas pode ter queda devido ao aumento dos preços das passagens aéreas. A perspectiva da rede é inaugurar até 2018 o Grand Bourbon em Alphaville, que terá um centro de convenções de quase 3 mil metros quadrados com capacidade para até 2 mil participantes. O Bourbon também está negociando um novo hotel convention no Nordeste.
Crescimento
A Vivence Hotéis tem como destaque no segmento de eventos um empreendimento em Caldas Novas e outro em Goiânia, ambos em Goiás. O primeiro é a maior aposta e a diretora de operações da rede, Vanessa Morales prevê para este ano uma alta de 25%.
“Com pouco tempo de funcionamento, o espaço tem realizado mais eventos de lazer. Mas isso deve mudar em 2015, onde o foco será mais no corporativo.”
Até 2018, a rede deve inaugurar quatro novos projetos. “Todos com espaços para eventos. Hoje em dia é inviável um hotel sem o segmento.”
A coordenadora de eventos da Atlantica Hotels de Alphaville, Fernanda Bracalli, também está otimista. Ela diz que este ano as bandeiras Comfort e Radisson em Alphaville podem crescer até 20% no ano, neste segmento. “Só em fevereiro tivemos 50 eventos.”

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *