Integração garantiu sucesso da Copa

[Embratur, 04/12/2014]
Envolvimento de todas as esferas participantes na organização da Copa 2014 foi destaque hoje no seminário “Copa 2014, legados para o Brasil”
O segundo dia do seminário “Copa 2014, legados para o Brasil”, organizado pelo Ministério do Esporte, mostrou que os avanços alcançados com o mundial esportivo servirá como impulso para novas conquistas do País nas mais diversas áreas. A integração entre os envolvidos com a organização do evento foi considerada peça-chave para o sucesso da Copa do Mundo.
Os participantes do painel “Governança e Imagem do Brasil” ressaltaram que a união dos esforços garantiu os legados no tema. A enorme estrutura em torno da organização da Copa do Mundo contou com a integração de todas as esferas participantes: foram 29 órgãos do governo federal envolvidos, 90 órgãos públicos locais e 2.200 gestores públicos e privados, participando, ao todo, de 277 reuniões de alinhamento e ajustes dos planos operacionais.
Já no painel “Sustentabilidade, Inclusão Social e Desenvolvimento Humano”, três pontos foram abordados como cruciais para que o evento fosse realmente sustentável. O primeiro foi a aplicação do conceito de sustentabilidade das intervenções de infraestrutura; o segundo foi a implantação do Passaporte Verde, na área do turismo; e por último, a inclusão das cooperativas de catadores de materiais recicláveis.
Para fechar as discussões, o painel “O Aprendizado dos Grandes Eventos Esportivos” trouxe representantes da Espanha e da Inglaterra, países que foram sedes de competições esportivas mundiais, para compartilharam suas experiências. Os participantes destacaram que o turismo do Brasil começará a colher os frutos da exposição da imagem nos anos seguintes.
No encerramento, o secretário-executivo do Ministério do Esporte, Luis Fernandes, disse que esse seminário fecha o ciclo de preparação do Brasil para a Copa do Mundo 2014. “O evento nos trouxe uma visão ampla do que o mundial esportivo trouxe para o País e continuará trazendo nos próximos anos”.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *