“Cooperação é grande desafio”, diz Anita Pires

[Mercado e Eventos, 08/12/2014]

De que forma as entidades podem contribuir na captação de eventos e com a cadeia produtiva do setor de eventos. Isto foi o que diversas entidades tentaram responder durante o último painel da manhã desta segunda-feira (08/12) do Eventos Brasil.
Com a participação e mediação da presidente da ABEOC, Anita Pires, ele também teve a presença de Alexandre Sampaio, presidente da FBHA; Sérgio Pasqualin, presidente da ABEVT; Enrico Fermi, presidente da ABOH, Margareth Pizzato, presidente da Abraccef; e Marco Lomanto, diretor de Produtos da Embratur.
Anita ressaltou que as entidades têm um grande desafio, que é a cooperação entre si e com o próprio poder público, que segundo ela tem demonstrado muita dificuldade em atender as demandas da sociedade.
“Vivemos em uma sociedade individualista e muitas vezes falta uma visão global. Temos que discutir e fortalecer as entidades. As organizações da sociedade civil têm que ser cada vez mais fortes e inteligentes, por isso, é fundamental uma reinvenção”, ressaltou.
Alexandre Sampaio utilizou a Copa do Mundo e os Jogos Olímpicos como exemplos da pouca participação das entidades. Ele explicou que o trade pouco participou do processo de captação e de formulação das estratégias para esses dois eventos.
Para ele, isso faz com que o setor não aproveite de forma efetiva os resultados trazidos com esses megaeventos. “Ainda há tempo para incluir o setor privado nos Jogos Olímpicos, nem que seja apenas opinativo, já que os investimentos são públicos”, propôs.
Margareth Pizzato lembrou da dificuldade em fazer com que as reivindicações do setor cheguem ao poder público. Segundo ela o Conselho Nacional de Turismo facilitou, mas ainda há um longo caminho a percorrer.
Fermi, da ABIH, lembrou o case da própria entidade que saiu de 1,1 mil para 4 mil associados e conseguiu dar voz aos seus associados por meio de um Conselho Deliberativo. Sérgio Pasqualin ressaltou que a ABEVT experimenta uma série de parcerias, todas voltadas para capacitação e educação do setor, inclusive com intercâmbios internacionais.
Lomanto fechou o painel ressaltando a atuação do órgão para a captação de eventos e viagens de incentivos, bem como a participação de feiras do setor. Ele revelou que no próximo ano acontecerá um workshop denominado “Brasil de Grandes Eventos” com foco no mercado Mice.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *