Países do Mercosul estudam ações para intercâmbio de visitantes

[MTur, 22/11/2014]

Representantes dos países membros, convidados e observadores do Mercosul encerraram nesta sexta-feira (21), em Buenos Aires, capital da Argentina, o 14º Encontro de Ministros de Turismo e a 58ª Reunião Especializada de Turismo do bloco econômico. Os debates evidenciaram o interesse comum em aumentar o fluxo de turistas entre os países, além da necessidade de avançar na pauta da promoção de cada destino dentro do mercado sul-americano e para mercados distantes como o Japão, por exemplo.
O secretário nacional de Políticas de Turismo, Vinicius Lummertz, que representou o ministro brasileiro do Turismo, Vinicius Lages, disse que houve alguns avanços nas discussões, especialmente em relação ao aumento da visibilidade dos países do Mercosul em mercados turísticos como o Japão, e que é preciso investir mais.
Ele disse que há o interesse do intercâmbio de turistas entre as nações vizinhas também. “Para o Brasil, o perfil do mercado sul-americano ficou muito evidente durante a Copa do Mundo, quando o número de estrangeiros da América do Sul representou 41% dos visitantes do evento”, disse Lummertz durante reunião da cúpula.
“Os turistas da Colômbia, Venezuela e Chile não costumam visitar o Brasil com frequência. Precisamos melhorar nossa promoção para atrair estes turistas”, avaliou o secretário do MTur.
A reunião em Buenos Aires contou com a presença dos ministros Carlos Meyer, da Argentina; Liliam Kechichián, do Uruguai; Marcela Bacigalupo, do Paraguai; Andrés Izarra, da Venezuela. Do Brasil, além do secretário nacional Vinicius Lummertz, participaram também o chefe da Assessoria de Relações Internacionais do MTur, Acir Pimenta, e a assessora especial do MTur, Helena Costa, e representantes da Embratur.
Além da discussão da promoção conjunta dos países do Mercosul, foram apresentados assuntos referentes à criação do fundo único de promoção turística e à formulação de roteiros integrados. Em relação ao fundo, o assessor do MTur, Acir Pimenta, explicou que cada país precisa ter uma legislação específica, criando esta receita, e, no caso do Brasil, as discussões encontram-se na comissão de finanças e tributação da Câmara para depois ir para votação.
Entre as propostas de roteiros integrados foram mencionados circuitos culturais entre os municípios por onde passaram as missões jesuíticas; uma rota terrestre entre Brasil e Venezuela; um roteiro que interligue as Grandes Quedas D’água da região, incluindo o Salto Ángel, na Venezuela, e as Cataratas do Iguaçu no Brasil, Argentina e Paraguai; e ainda a proposta brasileira de roteiros que promovam segmentos turísticos de aventura, ecoturismo, e sol e praia.
Houve ainda uma manifestação dos representantes para que haja homogeneidade nas metodologias das estatísticas, com critérios comuns a todos os países e que possam ser comparativos entre si. Respeitando o rodízio de presidência do Mercosul, o Brasil passa a comandar o bloco no próximo semestre e existe a proposta para que a reunião do grupo seja realizada em Foz do Iguaçu (PR), na tríplice fronteira entre Brasil, Paraguai e Argentina.
Durante o encontro, os representantes brasileiros também apresentaram as ações promovidas no país para a qualificação profissional no setor, em iniciativas que envolvem a formação de mão de obra. Também foram discutidas questões como a flexibilização de vistos de trabalho entre os países, tema que poderá ajudar na integração e intercâmbio de profissionais de alto padrão.
Clique aqui para ouvir comentário no qual o secretário Vinicius Lummertz defende empenho pelo intercâmbio de turistas entre países vizinhos.
(MTur, 22/11/2014)