ABEOC Brasil e Sebrae lançam o mais completo levantamento sobre a indústria de eventos já realizado no país

Na próxima terça-feira, dia 14 de outubro, na sede da Fecomércio, em São Paulo, a Associação Brasileira de Empresas de Eventos e o Sebrae Nacional, através do Programa de Qualidade ABEOC Brasil apresentam o II Dimensionamento Econômico da Indústria de Eventos no Brasil. A pesquisa realizada pelo Observatório do Turismo da Faculdade de Turismo e Hotelaria da Universidade Federal Fluminense, com apoio da da Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC), da Federação Brasileira de Hospedagem e Alimentação (FBHA) e ForEventos (Fórum do Setor de Eventos) revela que o setor cresceu, nos últimos 12 anos, aproximadamente 14% ao ano, aumentando a sua participação no PIB do país de 3,1%, em 2001, para 4,32%, em 2013. Além de informações sobre a relevância e a dinâmica da indústria de eventos no Brasil, a pesquisa é um guia completo dos espaços para eventos disponíveis no território nacional.
“Este estudo coloca à disposição do mercado de turismo e eventos informações fundamentais para o planejamento dos negócios”, analisa a presidente da ABEOC Brasil, Anita Pires. “Graças a visão da ABEOC Brasil, Sebrae, CNC, FBHA e ForEventos podemos oferecer ao País o cenário preciso de um dos setores que mais cresce na economia nacional”, acrescenta.
Para o presidente do Sebrae, Luiz Barretto, as empresas do segmento precisam se capacitar para oferecer serviços de qualidade ao cliente. “O Brasil vem ganhando muita visibilidade internacional nos últimos anos e o mercado de eventos está em expansão. Ao adotar boas práticas de gestão no negócio, o empresário ganha alternativas de melhoria de processos, o que aumenta a competitividade dos pequenos empreendimentos”, afirma. “Quem quer empreender no mercado de eventos, como em qualquer outra área, precisa estar sempre em busca de capacitação e informação”, ressalta Barretto.
A movimentação econômica do setor no ano passado foi de R$ 209,2 bilhões, incluindo a soma dos gastos feitos pelos participantes de feiras, congressos e outros eventos, a receita gerada com a locação dos espaços destinados a esses encontros e o faturamento das organizadoras de eventos. Os dados completos da pesquisa serão divulgados no evento de lançamento e estarão disponíveis online no dia seguinte (15/10), no site da ABEOC Brasil.

O que o Dimensionamento Revelará

O II Dimensionamento Econômico da Indústria de Eventos no Brasil teve como objetivo quantificar a participação da indústria de eventos no PIB do Brasil, avaliar a sua contribuição no processo de geração de emprego, renda e impostos, além de inventariar os espaços de eventos no País, suas características, localização e dinâmica de funcionamento.
O estudo também levantou alguns dados importantes do mercado de eventos, como: capacidade instalada por região geográfica, nível de utilização, número de participantes, preço médio de assentos e preço médio por metro quadrado da locação dos espaços e distribuição dos eventos por tipologia.
Aponta também as principais preocupações e desafios destacados pelos gestores do setor através da pesquisa qualitativa “Mercado de eventos no Brasil: Desafios e Perspectivas 2020”, dividida em cinco eixos temáticos centrais: Clientes; Concorrência; Redes de Negócios; Tecnologia; Geração Y.
O II Dimensionamento Econômico da Indústria de Eventos no Brasil faz parte do Programa de Qualidade ABEOC Brasil – Qualificação e Certificação de Empresas de Eventos, em parceria com o Sebrae Nacional e apoio da Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC) e da Federação Brasileira de Hospedagem e Alimentação (FBHA).

Principais tópicos da Pesquisa ABEOC Brasil e Sebrae

  • Número de participantes de eventos
  • Renda gerada pelos participantes de eventos
  • Renda gerada pelos espaços
  • Renda gerada pelas entidades, associações e empresas organizadoras de eventos no Brasil
  • Emprego gerado pela indústria de eventos
  • Tributos gerados pela indústria de eventos

Destaques da Pesquisa com espaços para eventos

  • Tipologia dos espaços para eventos
  • Tipologia dos eventos realizados nos espaços
  • Número de participantes por evento
  • Preços médios de locação
  • Taxa média de ocupação dos espaços
  • Renda gerada pelas locações de espaços
  • Empregos diretos e terceirizados nos espaços para eventos
  • Sazonalidade – Dias com maior procura
  • Sazonalidade – Meses mais procurados
  • Âmbito dos eventos
  • Tipos de clientes
  • Marketing e meios de comunicação

Destaques da Pesquisa com empresas organizadoras de eventos

  • Área de atuação das empresas organizadoras
  • Tipos de eventos realizados
  • Número de empregos gerados
  • Terceirização de serviços – Pessoa Física e Pessoa Jurídica
  • Locais contratados para a realização de eventos
  • Valor médio dos preços praticados
  • Composição da receita média de eventos
  • Composição média das despesas de eventos
  • Regime de enquadramento tributário
  • Tipos de seguros praticados
  • Principais contratantes de eventos

Dados liberados para divulgação

  • A movimentação econômica do setor no ano passado foi de R$ 209,2 bilhões,4,32% do PIB
  • Em 2013, o Brasil sediou 590 mil eventos, 95% deles nacionais e metade realizada na região Sudeste.
  • Participação de 202,2 milhões de pessoas em eventos no país em 2013
  • Gatos dos participantes em média de R$ 161,80 por dia (o que somou gastos de R$ 99,3 bilhões).
  • O país tem 9.445 espaços para feiras, congressos e eventos de diversas naturezas
  • 10,2 milhões de metros quadrados e 9,2 milhões de assentos para realização de eventos
  • A locação desses espaços gerou, em 2013, mais de R$ 37 bilhões.

[Publicado por Brasilturis, 14/10/2014]

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *