Turista de negócios é principal perfil chinês para o Brasil

[Por Mercado e Eventos , 19/09/2014]
Os viajantes chineses vêm mais ao Brasil a negócios do que por lazer, segundo os hoteleiros. Os dados do Monitor de Viagem Internacional dos Chineses (Chinese International Travel Monitor – CITM, em inglês), da HOTEIS.com, mostram que esse índice chega a 36%. Enquanto apenas 31% viaja a lazer. A pesquisa também aponta que 33% dos chines aproveitam a viagem de negócios para conhecer o destino. O resultado é diferente da percepção de hoteleiros do mundo todo, que afirmam que 62% viajam a turismo. Na América Latina, essa porcentagem cai para 43%.
“O levantamento traz informações importantes para entender o comportamento dos chineses, hoje considerados o maior mercado consumidor e com mais gastos no setor hoteleiro. Apesar de ainda não estar entre os destinos mais desejados, o Brasil é o principal roteiro da América Latina, com o diferencial do turismo de negócios. Com o aumento de empresas da China no país, estes números podem crescer nos próximos anos”, comenta Juan Pasquel, diretor de Marketing da HOTEIS.com para a América Latina.
Ainda de acordo com o relatório, a maioria dos viajantes que vem ao Brasil (24%) está acompanhada por colegas e, com uma diferença de apenas um ponto percentual, aparecem os chineses que viajam sozinhos. Um cenário bem diferente para os demais países da América Latina, onde 23% viajam com parceiros e sem os filhos e 22% estão acompanhados de colegas. Em todas as regiões, o período de estadia desses viajantes é de dois a três dias.
Com relação às atividades que mais interessam a esse público, há unanimidade entre os dados globais e regionais. Passeios turísticos feitos de forma independente são os mais procurados. Outras atividades que também foram mencionadas pelos hoteleiros entrevistados são: saídas para jantar, compras, idas à praia e visitas a museus.
Brasil está em 18º posição entre os países mais desejados – No ranking de países que os viajantes chineses mais gostariam de conhecer, o Brasil é o representante latino-americano melhor colocado, ficando na 18ª posição. A Argentina ficou na 25ª colocação, seguida do México (26º) e da Colômbia (empatada em 27º). A Austrália é a preferida, seguida da França e da Nova Zelândia.
 
O Brasil também foi considerado um dos países mais acolhedores, aparecendo em 16º lugar, a melhor colocação entre os países da América Latina. No ranking, a Austrália também lidera, com Cingapura em segundo e Coreia do Sul em terceiro, empatado com França e Nova Zelândia.
Segundo a percepção dos hoteleiros brasileiros, os serviços mais pedidos pelos hóspedes chineses são Wi-fi ilimitado, com 25% dos pedidos, chaleira (8%) e sala para fumantes (7%). E nisso, os profissionais nacionais já saem à frente, pois atendem às necessidades dos viajantes. Quase 40% já oferecem INTERNET SEM FIO gratuita, enquanto 13% contam com bules para chá e 11% têm salas para fumantes.
Visando melhorar o atendimento desse público, 9% dos hoteleiros entrevistados afirmaram que pretendem, nos próximos 12 meses, oferecer guias de viagem e materiais de boas-vindas em chinês. Chinelos, macarrão instantâneo, café da manhã chinês e website do HOTEL em mandarim  também têm destaque na implantação nos próximos meses, com 7% de menções cada.
 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *