​Copa gera US$ 6 bilhões de negócios para empresas, afirma Apex-Brasil

[Por Mercado e Eventos , 02/09/2014]
O Projeto Copa do Mundo, realizado pela Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (Apex-Brasil), terminou com sucesso para as 708 empresas e entidades setoriais participantes. Os setores de casa e construção tiveram o melhor resultado, seguidos dos complexos de máquinas e equipamento: alimentos, bebidas e agronegócios; tecnologia e saúde; moda e serviços.
Ao todo, vieram ao Brasil 2.386 empresários, investidores e formadores de opinião de 104 países, convidados pelo Projeto Copa do Mundo. Eles participaram de 837 agendas de negócios com empresas de 18 estados brasileiros, nos meses de junho e julho. Também assistiram aos jogos do Mundial e estiveram nos hospitalities da Apex-Brasil em 12 jogos em Belo Horizonte, Brasília, Fortaleza, Rio de Janeiro e São Paulo.
Uma pesquisa realizada com os convidados internacionais comprovou um dos resultados do projeto: a melhoria da imagem de empresas e produtos brasileiros. Os convidados estrangeiros que responderam à pesquisa, declararam um aumento na percepção positiva sobre produtos e empresas brasileiras.
As perguntas foram feitas no período que precedia a viagem ao Brasil e refeitas após retornarem ao destino de origem. De uma etapa para outra, o número de respostas ‘alta’ e ‘muito alta’ (correspondendo à avaliação positiva) subiu de 80% para 86% na questão sobre o Brasil como parceiro de negócios e investimentos; de 83% para 90% sobre a qualidade de produtos e serviços brasileiros; de 65% para 81% no item criatividade e inovação dos produtos brasileiros; e de 77% para 90% na questão sobre profissionalismo dos empresários brasileiros.
Na pesquisa realizada também com empresas brasileiras, 70% dos respondentes registraram aumento nas vendas para os parceiros convidados e 30% disseram ter aberto novos mercados.
“O grande ganho desse projeto foi o fortalecimento da relação de confiança entre as empresas brasileiras e seus parceiros em cada mercado de atuação, que se reflete nos negócios”, avalia o presidente da Apex-Brasil, Mauricio Borges. “Nos próximos 12 meses serão concretizados os US$ 6 bilhões em exportações e investimentos atraídos ao país, conforme o previsto”, completa.