Satisfeita com impacto econômico, SPTuris divulga índices sobre turismo gerado pela Copa do Mundo

[Por Hôtelier News, 03/07/2014]
As ruas e bares abarrotados de turistas uniformizados e fanáticos por seus times nacionais têm enchido os olhos das autarquias responsáveis pelo turismo da capital paulista. Em entrevista realizada hoje (03), no Centro Aberto de Mídia, no centro de São Paulo, Wilson Poit, secretário municipal para Assuntos de Turismo e presidente da SPTuris (São Paulo Turismo), revelou alguns índices concernentes à visitação de turistas no município e confessou estar satisfeito com a frequência de visitantes na cidade desde o início do mundial, dia 12 do último mês. Entre os principais dados divulgados está o impacto econômico. Segundo a entidade, os turistas brasileiros tem gasto médio de R$ 2,2 mil enquanto os estrangeiros desembolsaram R$ 4,8 mil por período.
Os números surpreendem positivamente a representação da secretaria pois a expectativa prévia era que cada viajante gastasse cerca de R$ 1,8 mil durante sua permanência. “A cidade de São Paulo tem servido como base para muitos torcedores. Eles ficam na cidade e, em alguns dias, deslocam-se para acompanhar suas seleções mas retornam”, comenta o secretário atrelando as cifras positivas ao bom número de atrativos disponíveis na cidade e ao maior tempo de permanência, principalmente, dos estrangeiros.
“Outro fator extremamente positivo que os estudos da Sala de Monitoramento do Atendimento ao Turista [departamento responsável pela captação dos números] mostra é o tempo de permanência. Os turistas brasileiros têm ficado 4,4 dias na cidade enquanto os estrangeiros ficam 8,2 dias por aqui”, acrescenta Poit.
De acordo com a SPTuris, até o final da competição, cerca de 500 mil viajantes passarão pelo destino, o que deve ampliar os índices já computados. Os números já coletados mostram que, entre os visitantes, os brasileiros ainda são maioria, tendo 65% do total de visitantes contra 35% da presença de estrangeiros. Nesse montante, 65% são homens com faixa etária entre 30 e 39 anos.
Quando observados os locais de origem, os países que mais enviam turistas para a cidade são as nações da América Latina, depois aparecem as outras Américas e, por fim, a Europa.
Como exemplo do grande fluxo de visitação, Poit ainda mostrou dados do principal aeroporto da região. Segundo ele, entre os dias 10 e 25 de junho, o aeroporto internacional de Guarulhos, na grande São Paulo, recebeu 245 mil desembarques internacionais, 18% acima do índice anotado no mesmo período do ano passado.
Também presente na coletiva desta manhã, Vinicius Lage, ministro do Turismo, endossou o discurso do secretário paulistano. Para o representante do governo Federal, São Paulo é um grande exemplo da capacidade que o Brasil mostrou na realização do campeonato mundial de futebol. “Esta cidade e o Brasil saem fortalecidos e responsáveis pela recuperação da autoestima brasileira”, garante.
Críticas foram bullying
Enfático no discurso sobre a boa herança deixada pelo campeonato mundial, o responsável pela pasta do turismo ainda repercutiu as manifestações contra os jogos realizadas dias antes do início da competição.
Segundo Lage, os movimentos que pediam o cancelamento da Copa do Mundo foram uma espécie de bullying contra o turismo nacional e contra a capacidade do País.
“No final das contas, este evento tem sido muito positivo para o Brasil e para a economia do turismo também”, sintetiza.
 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *