Estádio Mineirão alcança nível máximo em certificação sustentável

[Por Revista Hotéis, 30/06/2014]
O Estádio Governador Magalhães Pinto, mais conhecido como Mineirão, localizado em Belo Horizonte (MG) conquistou a categoria máxima na certificação LEED – Leadership in Energy and Environmental Design. O estádio recebeu o Selo Platinum do U. S. Green Building Council (USGBC), órgão responsável pela certificação que é utilizada em 143 países para incentivar a transformação dos projetos, obra e operação das edificações, sempre com foco na sustentabilidade de suas atuações.
Para conquistar a certificação, a Minas Arena cumpriu oito itens considerados pré-requisitos e ainda apresentou inovações sustentáveis que não eram exigidas pela USGBC, o que gerou uma alta pontuação e resultou no Selo Platinum. Segundo a supervisora de Meio Ambiente e Qualidade da Minas Arena, Marcela Viana, a construção e atual operação da Usina Solar Fotovoltaica (USF Mineirão), em parceria com a Cemig, reforçam o foco em sustentabilidade do estádio. A Usina tem potência instalada de 1,42 MWp, com cerca de 6 mil módulos fotovoltaicos e toda a energia gerada é injetada na rede de distribuição da Cemig.
Durante as obras, mais de 90% dos resíduos gerados foram reutilizados ou reciclados; as mais de 50 mil cadeiras do antigo Mineirão foram doadas para ginásios e estádios do interior do estado e toda a sucata metálica foi destinada para usinas recicladoras; foram implantados lava rodas para limpeza dos caminhões na saída da obra para evitar sujeira no entorno do estádio, mas com um sistema ecoeficiente, com reaproveitamento da água por meio de caixas de decantação e bombas, com economia média de 18 mil litros de água por dia.
Desde o período de reforma, foi implantado o sistema de coleta seletiva, utilizada até hoje no dia a dia do estádio e em dias de jogos. Outra iniciativa em prol do meio ambiente foi a construção de reservatórios com capacidade de armazenamento de 5 milhões de litros de água das chuvas. Essa água captada é reutilizada para encher bacias, mictórios e irrigar o campo por até três meses de estiagem. O processo gera uma redução de até 70% no consumo de água do estádio. O Mineirão conta também com restritores de mictórios, torneiras e chuveiros, que diminuem o consumo cerca de 10% no volume de água utilizado nos banheiros.