Cidades-sede: fluxo de turistas pode crescer em até 20%

[Por Ministério do Turismo, 03/07/2014]
O ministro do Turismo, Vinicius Lages, afirmou nesta quinta-feira (3), em coletiva de imprensa no Centro Aberto de Mídia de São Paulo, que a Copa do Mundo representa um divisor de águas para o mercado do turismo no país. O megaevento aumenta a participação do setor no PIB nacional, que atualmente corresponde a 3,7%.
De acordo com Lages, esta é uma das melhores Copas da história. “Provamos que somos capazes de realizar um evento desse porte e já estamos trabalhando para aproveitar o legado para consolidar o turismo no Brasil como um eixo importante de desenvolvimento”, disse.
O ministro destacou a tendência de aumento de fluxo de turistas nas cidades-sede em até 20%, de acordo com pesquisas feitas em outros países que sediaram o Mundial. Para ele, a oportunidade de sediar eventos de grande porte deve estar associada a uma política estratégica de desenvolvimento de longo prazo, similar à estratégia do agronegócio na década de 70. “O Brasil é um destino de alta aceitação no mercado e vamos vendê-lo cada vez melhor. Apostamos muito também no crescimento do turismo interno”, disse.
No evento, o secretário municipal para Assuntos de Turismo de São Paulo, Wilson Poit, apresentou um estudo que aponta um aumento de 20% na visitação dos principais atrativos turísticos da cidade.
AUMENTO DE TURISTAS
Segundo levantamento feito pela SPTuris, divulgado na coletiva, a estimativa é que, na primeira fase da Copa, 347 mil turistas já passaram por São Paulo, sendo 121 mil estrangeiros (34,91%). A Argentina foi o país que mais enviou torcedores para a capital (31,71%), seguida por Chile (17,77%), Uruguai (8,01%), Colômbia (5,05%), Estados Unidos (4,18%), Inglaterra (4,18%), Holanda (3,48%), México (2,61%) e Bélgica (1,74%). Essa é a terceira prévia da Pesquisa de Demanda e Perfil do Torcedor da Copa do Mundo em São Paulo, realizada por meio do Observatório do Turismo.
“O Brasil se encontrou com o seu continente ao receber um grande número de argentinos, colombianos, chilenos, que não são os mesmos que costumam ir ao litoral catarinense. Esse público se ampliou. A aprovação de americanos, ingleses, italianos também tem sido muito elevada”, disse o secretário.
Segundo o levantamento da SPTuris, 73,1% dos turistas deu nota entre 7 e 10 para o Mundial na cidade. Os itens mais bem avaliados foram hospedagem, vida noturna/bares e gastronomia.
A ocupação média nos hotéis em São Paulo ficou em 64%, sendo que na véspera e durante os dias de jogos na cidade o indicador chegou a 75%. O impacto econômico da Copa no turismo da cidade também subiu. A previsão de gastos dos turistas inicialmente era de R$ R$ 1,8 mil por visitante no período. Porém, os gastos estão em R$ 2,2 mil (brasileiros) e R$ 4,8 mil (estrangeiros).
Além disso, os visitantes também estão ficando mais tempo na metrópole paulistana: turistas nacionais permanecem em média 4,4 dias e os internacionais, 8,2 dias. Com isso, a previsão é que o impacto da Copa no turismo da cidade supere a estimativa inicial de R$ 700 milhões, podendo chegar a R$ 1 bilhão.
Os principais atrativos turísticos da cidade tiveram um aumento médio de 20% na visitação, com destaque para o Museu do Futebol, que recebeu mais de 3 mil turistas internacionais somente no dia 21 de junho (a média é de 56 estrangeiros por dia). Juntos, MASP, Museu da Língua Portuguesa e Museu do Futebol receberam mais de 60 mil pessoas de 12 de junho até hoje.
Ouça aqui fala em que Vinicius Lages Copa defende estratégias de longo prazo ao turismo depois da Copa.
Ouça aqui comentário no qual Wilson Poit aponta motivos para a boa avaliação da cidade por visitantes.
 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *