Parada Gay gera mais de R$ 3,2 milhões para São Paulo

[Por Panrotas, 02/05/2014]
No próximo domingo, 4 de maio, acontece a 18ª edição da Parada LGBT de São Paulo. O evento foi antecipado em mais de um mês devido à realização da Copa do Mundo. Este ano, a organização da parada tem como discussão central a criminalização da homofobia e a aprovação da lei de identidade de gênero.
Segundo o secretário municipal para Assuntos de Turismo e presidente da São Paulo Turismo (SP Turis), Wilson Poit, a semana toda movimenta a cidade. “Dias antes da Parada LGBT, já começa uma extensa programação cultural, de lazer e entretenimento que traz muitos visitantes e geram grande retorno econômico para a capital”, comenta Poit.
Em 2013, o Observatório do Turismo, núcleo de estudos e pesquisa da SP Turis, lançou o estudo “Mercado GLS paulistano”, que fez um levantamento específico sobre o segmento na cidade de São Paulo, incluindo quantificação da oferta de estabelecimentos especializados e a movimentação financeira. “Os dados mostraram o impacto do setor na economia paulistana que, em menos de um ano, chega a movimentar R$ 59,5 milhões e, na semana da Parada, fica em R$ 3,2 milhões”, destaca o presidente da empresa.
De acordo com o balanço, na cadeia produtiva da cidade existem quase 80 estabelecimentos voltados exclusivamente para o público LGBT ou bastante frequentados por ele, entre os quais 26 casas noturnas, 18 bares, 18 saunas e sex clubs, 11 restaurantes e sete festas mensais. A maioria dos locais está concentrada nas regiões da Paulista (local da parada), Jardins, Pinheiros e no Centro, com capacidade para receber, juntas, quase 45 mil pessoas – este número mais do que dobra e chega perto de 95 mil pessoas na semana da Parada LGBT.
Na última pesquisa feita pelo Observatório do Turismo na Parada LGBT de 2012, os dados indicaram que 39,5% do público era composto por turistas. Destes, a maioria era de turistas domésticos (97,4%) e a outra parcela estrangeiros (2,6%). A principal origem desses visitantes internacionais foram o Peru, Estados Unidos, Holanda e Argentina.
 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *