Governo lança pacote verde para a Copa

[Por Embratur , 27/05/2014]
O Governo Federal lançou hoje um pacote de ações sustentáveis para a Copa do Mundo, a Agenda de Meio Ambiente e Sustentabilidade para a Copa 2014. A ação foi coordenada pelos ministérios do Turismo, do Meio Ambiente, do Esporte e do Desenvolvimento Social, além do Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente (PNUMA) em parceria com os estados e cidades-sede.
Entre os cinco eixos temáticos que compõem as ações de sustentabilidade está o Passaporte Verde. Com o slogan “Eu Cuido do Meu Destino”, a ação aproveita a Copa do Mundo para iniciar um trabalho junto aos consumidores e empresários para que tenham práticas mais sustentáveis. O Passaporte Verde é uma plataforma de comunicação em consumo e produção sustentáveis, com portal interativo, aplicativo móvel e forte presença nas mídias sociais.
Para a Copa 2014, entrará no ar o novo Website da campanha (www.passaporteverde.org.br ), um aplicativo para smartphones, uma página no Facebook, entre outras. Essas ferramentas serão utilizadas para promover e divulgar um conjunto de 60 roteiros indicados a partir de um processo de consulta junto às cidades-sede e governos estaduais, numa articulação com as secretarias de turismo e meio ambiente. Além disso, o Passaporte Verde vai trabalhar na sensibilização do trade turístico e dos torcedores para a adoção de condutas sustentáveis no turismo.
Adicionalmente, a campanha promoverá um conjunto de cinco Jornadas de Sustentabilidade, voltadas aos trades turísticos locais em São Paulo, Brasília, Rio de Janeiro, Belo Horizonte e Salvador.
Outra linha de ação é a gestão de resíduos e reciclagem para inclusão social de catadores. O governo federal abriu linha e crédito de apoio às cidades-sede para a inclusão social de catadores que realizarão coleta seletiva no entorno das arenas e festas oficiais. Todo o material recolhido será destinado às cooperativas de reciclagem. Além disso, o Banco Nacional do Desenvolvimento (BNDES) oferece financiamento para estruturar a coleta seletiva em caráter permanente nas cidades-sede por meio do Projeto Cidades da Copa. Foram aprovados projetos em Brasília, Curitiba, Porto Alegre, e Rio de Janeiro, em um total de aproximadamente R$ 79 milhões.
A certificação e gestão sustentável das arenas é outro eixo da ação lançada hoje. Esta será a primeira Copa do Mundo em que todos os estádios seguiram modelos de construção e gestão sustentável capazes de obter certificação internacional. Das 12 arenas, duas já obtiveram o selo LEED (Leadership in Energy and Environmental Design), reconhecido internacionalmente: Castelão (CE) e Fonte Nova (BA). Outras seis (AM, DF, MG, PR, RJ e PE) já apresentaram os relatórios, que estão em análise final pelo Green Building Council, entidade que concede a certificação. As quatro restantes estão em fase de complementação dos relatórios finais. A previsão é que todas sejam certificadas até o fim de 2014.
A Campanha Brasil Orgânico e Sustentável estará presente em dez das 12 cidades-sede que receberão Quiosques de Comercialização de Produtos Orgânicos e da Agricultura Familiar, com produtores de vários biomas diferentes durante a Copa. Ao todo, cerca de 60 grupos e associações de produtores foram selecionados por edital público, que representam cerca de 25 mil famílias agricultoras de todo o país. Os quiosques estarão instalados em áreas de circulação dos turistas e, em várias cidades, serão complementados pela integração ao circuito local de feiras orgânicas que aderiram à campanha. O objetivo, além da comercialização, é que a campanha deixe como legado uma cadeia produtiva cada vez mais organizada e estruturada.
Também faz parte desse eixo, o kit lanche para os 18 mil voluntários participantes do Programa Brasil Voluntário, que atuarão fora das arenas. Eles receberão um kit de alimentos orgânicos não perecíveis. Os produtos foram adquiridos pelo Ministério do Desenvolvimento Social.
A Compensação e Mitigação das Emissões também compõe a agenda lançada nesta terça-feira. O Ministério do Meio Ambiente lançou, em abril, a Iniciativa Baixo Carbono na Copa, uma chamada pública às empresas brasileiras para doarem créditos de carbono para a compensação das emissões geradas pela realização do Mundial. As companhias receberão um Selo Baixo Carbono fornecido pelo MMA. Foi realizado, ainda, o Inventário Ex-Ante de Emissões da Copa 2014, com a projeção das emissões relacionadas ao evento. Após a Copa será efetivado o Inventário definitivo.
Também foram identificadas as ações desenvolvidas pelos estados e cidades-sede voltadas à mitigação das emissões, como a Certificação das Arenas, os Planos de Gestão de Resíduos e Reciclagem, as iniciativas de mobilidade urbana, o uso de combustíveis menos poluentes, como o biodiesel e o etanol, os projetos de ciclovias e os projetos de compartilhamento de bicicletas, dentre outros.