E depois da Copa?

[Por Abdon Barreto Filho*, Revista Hotéis., 27/05/2014]
Durante sete anos temos acompanhado as notícias sobre a preparação do nosso país para sediar os jogos da Copa Fifa 2014. Inicialmente seriam oito cidades. Depois incluíram mais quatro. O caderno de encargos elaborado pelos organizadores determinou as necessidades de investimentos públicos e privados, principalmente nos estádios e na infraestrutura. As 12 cidades iniciaram seus preparativos e ainda hoje algumas estão realizando as finalizações. As notícias sobre o preparo para a Copa estão oscilando dos aspectos positivos para os negativos.
As informações apresentando problemas estão ficando mais assustadoras, e as notícias boas estão tendo maior espaço. Na realidade, os jogos serão realizados, e 3 bilhões de pessoas vão acompanhar as notícias sobre nossa terra e nossa gente. A escolha de realizar trabalhos para o bem receber depende de todos. Os visitantes testarão nossa hospitalidade e o nosso profissionalismo. As questões que envolvem problemas de desvios de dinheiro púbico, insatisfação popular, ideologias contrárias, etc., devem ser analisadas sem precisar de demonstrações extremas que possam prejudicar a imagem do Brasil. É o momento de mostrar ao mundo um país democrático que sabe bem receber. Que tem uma geografia fantástica, uma cultura rica e uma história recente na busca de melhores oportunidades para todos.
Convém salientar que podemos dividir nosso país em três segmentos: o Brasil com os miseráveis, vítimas históricas de modelos sociais e econômicos excludentes; o Brasil dos corruptos e corruptores que se apropriam dos recursos públicos para enriquecer; e o nosso Brasil formado por pessoas que trabalham, estudam, cooperam, que querem o melhor para todos. É este o Brasil que quer acabar com a miséria, a pobreza e a corrupção. Depois dos jogos da Copa vamos ficar concentrados nas escolhas dos nossos representantes políticos. Vamos exigir mais respeito aos cidadãos úteis à comunidade. Vamos melhorar a educação, a saúde e aumentar as oportunidades para todos. Com certeza serão competições difíceis. Entretanto, depois da Copa os resultados serão positivos se aprendermos a planejar melhor, a valorizar a gestão competente. Além disso, avaliar se os investidores poderão gerar novos negócios, principalmente para as populações e nas atrações de visitantes para produzirem bens e/ou serviços melhores, participarem de outros eventos e visitarem nossas cidades.
Depois da Copa, teremos a grande oportunidade de trabalhar como os conceitos do City Marketing (marketing das cidades) para gerar e ampliar a imagem e a hospitalidade da host city (cidade-sede), visando a preparação para ampliar os diálogos com os visitantes de outras cidades. Talvez um grande legado para as próximas gerações. É o nosso maior desafio receber bem, com profissionalismo. Saudade neles. Será? Respeitam-se todas as opiniões contrárias. São reflexões. Podem ser úteis. Pensem nisso.
*Abdon Barreto Filho é Diretor de Assuntos Institucionais da Rede Plaza.