Sindetur lança pesquisa sobre consumo turístico no Estado de SP

[Por  Hôtelier News,  31/03/2014]
Ocorreu hoje (31), em São Paulo, o lançamento oficial do estudo Indicadores Econômicos do Agenciamento Turístico 2013. Articulado pelo Ipeturis (Instituto de Pesquisas, Estudos e Capacitação em Turismo), a pedido do Sindetur-SP (Sindicato das Empresas de Turismo no Estado de São Paulo), o relatório reúne dados referentes ao consumo paulista de viagens organizadas – que sejam viabilizadas com a participação de empresas especializadas no setor turístico – e serve como parâmetro para a mensuração da utilização de empresas especializadas no planejamento de passeios do público do Estado de São Paulo.
Realizado durante todo o ano passado, de forma trimestral, o levantamento obteve a participação de 648 empresas divididas nas classificações grandes, médias e pequenas, sendo a maior parte delas agências de viagens.
Munido de uma sequência de gráficos apresentados em detalhes, Marciano Gianerini Freire, prersidente do Ipeturis, apresentou os ídices que relam ser as pessoas físicas o principal público das agências durante 2013. Cerca de 89% das empresas pesquisadas vendiam para esses clientes, enquando 74,7% das que responderam atendiam o segmento corporativo.
Na parte principal da apresentação, a pesquisa revelou que no tocante aos principais produtos comercializados o iten principal são as passagens aéreas, que são comercializadas por 93,5% dos pesquisados. Na sequência aparecem os produtos hospedagem (93,2%) e pacotes turísticos (90,4%).
Ainda conforme informado por Freire, um indicativo que chama a atenção é o faturamento. Segundo ele, o volume médio de vendas das grandes empresas durante o primeiro semestre do ano passado alcançou os R$ 222,8 milhões e no segundo semestre totalizou R$ 206 milhões.
O estudo menciona um mercado representativo – o público que utiliza as agências como viabilizadora de viagens – mas que não traduz de fato o comportamento do viajante paulista. Segundo dados da própria Ipeturis, três quartos das viagens que ocorrem na região são feitas sem qualquer interferência de agências.
Ainda assim o relatório serve como referência para identificar os caminhos, corretos ou tortuosos, que o segmento vem utilizando para angariar mais clientes. “Acredito que iniciativas como a realização de estudos são sempre válidos e importantes para que tenhamos um norte e uma orientação para tentar acertar sempre”, considera Eduardo Nascimento, presidente do Sindetur.