Curitiba sediará feira internacional de negócios cooperativos, em maio

[Por Mercado e Eventos, 24/04/2014]
A cidade de Curitiba será anfitriã da Expocoop 2014, maior feira internacional de negócios cooperativos do mundo, entre os dias 15 e 17 de maio, na Expo Unimed Curitiba. Em sua nona edição, o evento terá como foco fornecer às cooperativas a oportunidade de negociar seus produtos com o mercado nacional e internacional, criando parcerias e abrindo contatos com o consumidor.
Além da exposição, comercialização, divulgação de produtos e inovações tecnológicas, haverá oportunidades para as cooperativas brasileiras, tais como: rodadas de negócios, ações de internacionalização, bolsa de investimentos, networking para alianças estratégicas e promoção da intercooperação com o mercado nacional e mundial.
Participarão do evento cooperativas de 15 países: China, Canadá, México, Estados Unidos, Costa Rica, Paraguai, Argentina, Portugal, Espanha, Timor Leste, Turquia, Namíbia, África do Sul, Índia e Irã. Em média, 6 mil visitantes devem passar pela feira, sendo fornecedores, consumidores, entidades que representam e dão suporte ao sistema cooperativista, entre outros interessados. Paralelamente ao evento, estão previstos congressos, palestras, seminários, workshops e conferências.
Um dos destaques da Expocoop é a quarta edição do BRICS COOP, que começa no dia 14, véspera do evento. Na oportunidade, líderes cooperativistas do Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul irão discutir aspectos para fortalecer o intercâmbio comercial e a cooperação técnica entre o grupo. Os cinco países juntos somam mais de 460 milhões de cooperados e mais de 1 milhão de cooperativas.
Segundo Luiz Branco, presidente da Expocoop, diversos motivos levaram à escolha do Paraná como sede do evento. “O estado se destaca no cenário nacional por ser um dos principais envolvidos com o movimento cooperativista e abrigar grandes cooperativas, com destaque para o setor agrícola e de crédito. Além disso, fica estrategicamente localizado entre o Sudeste, Centro-Oeste e Cone Sul, o que facilita o acesso dos polos econômicos brasileiros e dos países do Mercosul”, ressaltou.
 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *