Conotel 2014 debate “Cenários Futuros” da hotelaria

Acaba de terminar o primeiro painel da 56ª edição do Conotel 2014, evento que acontece no Transamérica Expo Center, na capital paulista, até  o dia 11. Os cenários futuros da hotelaria foram discutidos pelos palestrantes. A Revista Hotéis é mídia parceira deste evento.
O painel contou com a visão política do ex governador do Espírito Santo Paulo Hartung; a visão de cliente do sócio e Chairman da LEW’LARATBWA, Luis Lara; a visão estratégica do jornalista Gaudêncio Torquato e a visão empresarial de Flávio Rocha, atual presidente do grupo Riachuelo. O secretário executivo da CNC, Eraldo Cruz foi o mediador deste debate.
Lara iniciou o painel falando sobre a importância da marca, que conecta a empresa ao cliente final. “A definição de uma marca acontece a partir do momento em que se oferece uma experiência, capaz de fazer o cliente retornar ao local ou comprar novamente o produto. A marca, se bem trabalhada, é capaz de transmitir a missão, os objetivos e valores da empresa”, explicou. Segundo ele, o setor hoteleiro é ideal para proporcionar momentos marcantes na vida de uma pessoa, e que atualmente os profissionais deste setor são capazes de oferecer estas experiências.
Em seguida, o economista e político Paulo Hartung falou sobre a melhoria no acesso aos bens por parte da população nos últimos anos e da competitividade . Em compensação, ele comentou que as manifestações ocorridas em 2013 mostraram que nem tudo está bem, e que é preciso trabalhar pela segurança e saúde pública, mobilidade urbana, dentre outros temas. “A pergunta é se vamos pegar essa boa energia das ruas e transformá-la em boas ações. Precisamos atualizar as instituições políticas, para que o jovem volte a operar neste setor e participar por mudanças no País. Não dá para trabalhar com eficiência com este modelo político atual”, disse.
O empresário Flávio Rocha deu continuidade ao painel falando sobre a situação atual do País, que está sendo reinserido a uma condição competitiva em relação a outros países. Segundo ele, o mercado varejista transformou o que era um país totalmente desigual em um país onde todos podem ter acesso a produtos e serviços que antes não tinham. “Devemos somar forças, como a união entre a ABIH e a FBHA, para lutar contra o ‘Custo Brasil’. Enquanto o mercado se manifesta subindo o preço de seus produtos, um grande alerta está sendo dado; se o Custo Brasil não for compatido, a luta da população pela igualdade e tudo o que foi conquistado até aqui está em sério risco”, afirmou.
Finalizando o debate, o jornalista da Folha de S.Paulo Gaudêncio Torquato afirmou que o Brasil vive uma crise de valores. Segundo ele, o conceito de verdade e honestidade está contorcido, principalmente na política e apontou a racionalidade como a melhor solução para este problema. Eraldo fez um resumo de cada apresentação ao final do debate e levantou algumas questões aos participantes. Hartung complementou seu discurso afirmando que “é preciso reconstruir as instituições democráticas no País, o que só é feito com liderança”, disse.
[Por Revista Hotéis, 09/04/2014]

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *