Confederações: Embratur se pronuncia sobre estudo

[Por Panrotas, 07/04/2014]
Assim como fez o Ministério do Turismo, a Embratur enviou comunicado à reportagem do Portal PANROTAS para esclarecer as diferenças entre os estudos divulgados hoje pelo MTur e em dezembro do ano passado, em artigo do então presidente do instituto, Flávio Dino (que pode ser lido na íntegra aqui.
Nas duas pesquisas, há diferenças entre os valores movimentados durante a Copa das Confederações e, também, em relação à expectativa de movimentação no período da Copa do Mundo. Assim como o MTur, a Embratur disse que os dois estudos apresentam resultados distintos porque suas respectivas concepções foram diferentes.
“Não há divergências entre as pesquisas divulgadas pela Embratur e pelo MTur, que adotaram diferentes metodologias. Além disso, o Ministério do Turismo utilizou números de turistas estrangeiros atualizados, que são superiores aos que a Embratur usou”, disse a Embratur no comunicado. “Por fim, o estudo do MTur considerou o gasto médio por turista por cidade e a estimativa da Embratur trabalhou com o gasto em todo o País”, continuou.
BALANÇO DOS MEGAEVENTOS
Em artigo publicado em dezembro do ano passado, Flávio Dino destacou a importância dos megaeventos para economia brasileira. Em um trecho de seu artigo, Dino afirma que “somente os 15 dias de jogos da Copa das Confederações movimentaram R$ 740 milhões na economia brasileira”.
Hoje, porém, um balanço realizado pelo MTur aponta que “o torneio gerou um movimento de R$ 20,7 bilhões, sendo R$ 11 bilhões referentes a gastos de turistas, do Comitê Organizador Local e de investimentos privados e públicos e outros R$ 9,7 bilhões como renda acrescentada ao PIB brasileiro”.
 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *