Feira 1 a 99 Brasil apresenta a EXPO GOOL em sua 28a. edição, de olho nos negócios da Copa do Mundo

De 31 de março a 03 de abril, no Pavilhão Amarelo do Expo Center Norte, realiza-se a Feira 1 a 99 Brasil de número 28. O evento é destinado a lojistas, distribuidores, fabricantes, importadores e representantes comerciais que abastecem as lojas de varejo popular. O pavilhão fica aberto entre 10h e 20h de segunda a quarta-feira, e das 10h às 18h na quinta-feira, dia 03/04. Um café da manhã é oferecido durante todos os dias da feira, das 9h às 9h45, para expositores e visitantes, gratuitamente. O acesso ao evento é exclusivo a profissionais do setor mediante apresentação do CNPJ. Pavilhão Amarelo – Avenida Otto Baumgart, 1000 – esq. Rua Galateia.
A Copa do Mundo no país do futebol é um momento histórico para o Brasil, não só pelos torcedores e apaixonados pelo esporte. As expectativas do comércio e da economia em geral transpõem de longe o sonho da Taça nas mãos da delegação brasileira.
Segundo estimativas do Sebrae, desde janeiro deste ano e até a data, em junho, o evento terá movimentado quase R$ 300 milhões para os micro e pequenos empreendimentos no país. Até o final do evento, esse montante pode bater os R$ 500 milhões. O Sebrae chegou a esses números a partir de rodadas de negociações promovidas em 2013, nas 12 cidades onde haverá jogos do Mundial no Brasil.
E tal como os demais setores, o segmento de varejo popular aposta forte nos artigos alusivos ao evento. Tanto é que nesta edição da Feira 1 a 99 Brasil, a organização no pavilhão foi formatada para adequar-se a uma demanda maciça de produtos para a Copa. “Tivemos de setorizar o desenho da feira contemplando os produtos verde-amarelos que o torcedor irá usar durante o torneio, explica Eduardo Todres, diretor do evento, referindo-se à EXPO GOOL.
São bandeirolas, adereços de cabeça, óculos, canecas, chaveiros, cornetas, apitos, uma infinidade de produtos com preços acessíveis e que darão às lojas de varejo popular, um tipo específico de produtos de giro rápido, os preferidos dos varejistas. “Os expositores que trarão os produtos verde-amarelos para o evento dão uma característica diferente para esta edição, já que tradicionalmente, a feira de março tem como alvo, as vendas para o Dia das Mães”, diz Todres.
Para entender a dinâmica do varejo de preço único, esses produtos sazonais, de giro rápido e de preços mais baixos são a característica mais forte desse tipo de estabelecimento. “O consumidor, que paga à vista e em dinheiro, é atraído pelo produto de R$ 1,99, mas sempre encontrará na loja outras coisas que podem ser úteis, tais como brinquedos, utensílios domésticos, ferramentas ou produtos de decoração”, explica o diretor.
Para o evento mundial, as linhas de produtos populares e também, a indústria de brindes, foram maciçamente direcionadas para atender essa ocasião única, e a feira exclusiva do setor vem fomentar os investimentos dos fabricantes e distribuidores, com vistas a um comércio que contempla mais de 45 mil estabelecimentos em todo o país, segundo a promotora do evento.
Divisão dos dinheiros da Copa
Uma pesquisa recente da Ernst & Young em parceria com a Fundação Getúlio Vargas, estima que até o mundial, terão sido investidos no país, mais de R$ 140 bilhões. São esperados 7,4 milhões de turistas que deverão gastar US$ 8,73 bilhões. Desses valores, segundo a pesquisa, R$ 2,1 bilhão serão destinados à hotelaria, R$ 902,8 milhões com alimentação e o comércio ficará com R$ 831,6 milhões. Estima-se ainda a geração de 3,63 milhões de novos empregos.
Pesquisa realizada pela consultoria ECD, especializada no setor de alimentos, levantou os investimentos a serem realizados e as projeções de aumento de consumo nas 12 cidades-sede da Copa.
Belo Horizonte, Brasília, Cuiabá, Curitiba, Fortaleza, Manaus, Natal, Porto Alegre, Recife, Rio de Janeiro, Salvador e São Paulo terão recebido investimentos em infraestrutura que batem R$ 15 bilhões. O montante investido deve adicionar aos PIBs municipais R$ 7,18 bilhões. Somente na reurbanização e embelezamento das cidades terão sido gastos R$ 2,84 bilhões.
Natal, com investimentos previstos em R$ 1,5 bilhão, e São Paulo, em R$ 1,45 bilhão, são as outras cidades com o maior orçamento. O retorno previsto para elas é de R$ 758,6 milhões e R$ 723,3 milhões, respectivamente.
Sobre o setor:
Esse segmento de varejo, as lojas de R$ 1,99, foi um fenômeno que surgiu na esteira do Plano Real. As transformações promovidas no consumo e especialmente entre a população de menor poder aquisitivo, mudaram hábitos e trouxeram mais “poder de compra” a consumidores, por vezes, excluídos de determinados mercados. Na ocasião, os produtos importados, viáveis pela paridade do dólar e do real, ofereciam inúmeros itens de consumo rápido e a um custo jamais visto antes. Com a desvalorização da moeda nacional, a indústria brasileira percebeu o peso do nicho de mercado popular e passou a produzir em escala, para atender esta faixa de consumo.
Evento semestral- A Feira 1 a 99 Brasil surgiu em 2.000, quando o mercado e seus fornecedores começavam a apresentar característica de “segmento de negócio”. Os empresários do setor, por ter um giro de negócios mais ágil do que as lojas tradicionais, precisam de uma feira semestral, que dê movimento aos seus investimentos em estoque, além da oferta de novidades mais frequente do que um evento anual, como é recorrente em outros segmentos do comércio e da indústria.
Serviço:
Feira 1 a 99 Brasil – 28a. Edição
31 de março a 03 de abril, de 2014– das 10h às 20h nos dias 31/03, 01 e 02/04 e das 10h às 18h no dia 03/04.
Pavilhão AMARELO do Expocenter Norte
Avenida Otto Baumgart, 1000 – esq. Rua Galateia
Aberto exclusivamente a lojistas, distribuidores, importadores e representantes – Ingresso grátis – mediante apresentação do CNPJ

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *