MTur altera Planejamento Estratégico do quadriênio 2012-2015

O Ministério do Turismo implementou mudanças em seu planejamento estratégico para o desenvolvimento do setor nos próximos anos e aprovou o plano de ações de 2014, com objetivo de potencializar os ganhos para a atividade durante esse importante ano. As novidades foram publicadas nesta sexta-feira no DOU (Diário Oficial da União).
A Portaria assinada pelo ministro do turismo, Gastão Vieira, confirma a aprovação das alterações do Planejamento Estratégico do Ministério do Turismo para o quadriênio 2012-2015 e a aprovação do Plano de Ação para o exercício de 2014.
De acordo com o texto do documento, tanto o Plano de Ação quanto o Planejamento Estratégico foram estruturados em conformidade com o Plano Plurianual da União, o PNT (Plano Nacional de Turismo 2013-2016)e a LOA (Lei Orçamentária Anual).
No caso do Plano de Ação 2014, a execução é de responsabilidade das secretarias da pasta e da Embratur, que deverão observar os objetivos estabelecidos no novo Mapa Estratégico do MTur, além de executar suas iniciativas para atingir as metas propostas para esse ano.
As iniciativas, indicadores e metas serão avaliadas pela secretaria-executiva do MTur, por meio do Sistema de Monitoramento da pasta que foi bastante elogiado e que serviu de exemplo para outras pastas da Esplanada dos Ministérios. Caberá às secretarias nacionais e à Embratur elaborar relatórios trimestrais de desempenho e alimentar o sistema de monitoramento.
O Planejamento Estratégico 2012-2015 foi alterado e pretende desenvolver o turismo brasileiro como uma atividade sustentável e competitiva, com papel relevante na geração de emprego, renda e divisas, na valorização do patrimônio cultural e preservação ambiental. A meta proposta é ousada: posicionar o Brasil como uma das três maiores economias turísticas do mundo até 2022.
Com o tema “Cuidando do Turismo do Brasil”, o documento busca ampliar a participação do turismo na economia brasileira, aumentar a competitividade do setor, incentivar o brasileiro a viajar pelo País. Além disso, pretende incrementar três importantes aspectos – Estruturação, Fomento e a Promoção.
A ideia é conhecer melhor o turista, o mercado e o território, estruturar os destinos turísticos nacionais, fomentar, regular e qualificar os serviços turísticos e promovê-los.
Apesar das mudanças no planejamento da pasta para os próximos anos, a busca por uma gestão descentralizada e participativa continua. O trade nacional fará parte de todo o processo que busca também garantir a eficiência das ações, sem abrir mão da transparência na aplicação dos recursos.
[Por Jornal de Turismo, 14/02/2014]

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *