Mercado de eventos cresce e desponta como bom investimento

[Por Portal A TARDE , 08/02/2014]
Vívian Costa começou a trabalhar na área de eventos como empregada, atuando na  coordenação e logística em uma empresa de buffets. Três anos depois de adquirir todo o conhecimento de como realizar eventos, decidiu abrir a própria empresa. Hoje, cinco anos depois, a jovem é dona do próprio  negócio em um setor que está em alta, movimentado cerca de 14 bilhões por ano no Brasil.
Em 2012, última medição do mercado feita pela Associação Brasileira de Empresas de Eventos (Abeoc) apontou que 74,6% das empresas do ramo aumentaram seus investimentos  naquele ano, e 67% dos responsáveis por esses negócios manifestaram a pretensão de  investir mais ainda nos dois anos subsequentes.
O interesse  de aplicar mais recursos em negócios desse setor não é à toa. Com uma demanda grande por esse tipo de trabalho, devido à falta de tempo que a maioria das pessoas têm para organizar uma festa, as empresas do setor indicaram um aumento de  65% no faturamento em 2012, em  relação a 2011, de acordo com a Abeoc. Desse total, 56% indicaram crescimento superior a 6%, e  76% acreditaram em crescimento acima de  6% para os dois anos posteriores.
Animada com a procura por festas desde que montou sua empresa, Vívian investiu R$ 19  mil, com recursos próprios e empréstimos, para montar um espaço, comprar material e  mobiliário. Agora,  dedica-se à  reforma do espaço,  para oferecer uma estrutura melhor aos seus clientes.  “O mercado  está indo bem, e  a área voltada para casamentos cresce muito em Salvador”, afirma a empreendedora.
Dedicação
Desde que passou de funcionária a empresária, a remuneração de Vívian mais do que triplicou, mas, em compensação, as responsabilidades também. Ou seja, mesmo com mercado em alta e a demanda por esse tipo de serviço, quem está no segmento ou quem tem interesse em entrar, é preciso suar a camisa para obter bons resultados com o negócio.
Dona da Maison Célia Queiroz, Célia Queiroz tem cinco anos atuando no mercado, à frente da empresa, e ainda aprende com o seu trabalho. “Não sei tudo, estou no caminho, aprendendo, faço cursos, porque nos dão uma boa noção,  mas o que se vivencia no dia a dia é importante, porque, quando você acha que sabe todas as respostas, vem a vida e muda as perguntas”, afirma.
Para quem está começando  e mesmo para quem já está no setor, a dica da  gerente da Unidade de Acesso a Mercados e Serviços Financeiros do Sebrae, Suely de  Paula, é observar a concorrência. “O que o meu concorrente está fazendo, quem está fazendo melhor do que  eu? Quais os pontos dele no que ele é bom? É importante encontrar uma brecha na falha do concorrente para melhorar no que é o ponto fraco dele”, afirma.
Mas não vale a pena ficar de olho apenas na concorrência. É fundamental fazer a análise do próprio negócio, avaliando o tipo de serviço e a qualidade do produto que está sendo oferecido, afirma Suely de Paula.
“É importante sempre lembrar que a qualidade fideliza. Marketing boca a boca é bastante eficaz”, destaca.
Veja dicas para abrir negócio na área
Pesquisa – Fazer detalhada pesquisa de mercado para abrir empresa em local (cidade ou bairro) que não esteja saturado
Operacional – Saber sobre o operacional do  negócio, se haverá parceria com empresas de buffet
Definição – Escolher o tipo do evento,  público-alvo (classes A, B ou C), local do serviço e tipo do produto
Profissionalização – É importante investir em profissionalização para se manter competitivo
 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *