AMPRO divulga posicionamento sobre contratação de profissionais de RP em eventos

[Por Portal da Propaganda, 17/02/2014]
A AMPRO – Associação de Marketing Promocional, acaba de preparar um comunicado à imprensa com o posicionamento do seu presidente, Kito Mansano, a respeito da Resolução Normativa 43, de 2002, que trata da contratação obrigatória de profissional de Relações Públicas para eventos corporativos.
O assunto tem sido levantado na mídia pelo Conrerp (Conselho Regional de Relações Públicas) da região Sul, que tem autuado algumas agências locais pelo não cumprimento de tal exigência.
Confira o posicionamento oficial da presidência da AMPRO:

“A quem pertencem os eventos?
Com uma resposta bastante objetiva, os eventos pertencem aos clientes, são eles que pagam as agências especializadas e seus profissionais para desenvolverem e se empenharem para que seus produtos e serviços apareçam e se tornem mais atrativos no momento da compra, portanto um trabalho de Comunicação.
Como diz a Resolução Normativa 43 de 2002, a contratação e um Profissional de RP é obrigatória para todo evento corporativo de Relações Públicas.
A Resolução deixa claro, como no texto abaixo, que o foco são eventos institucionais de Relações Publicas, sem envolvimento comercial ou mercadológico, mesmo assim quando houver o serviço de RP.
Portanto é preciso ser bastante cuidadoso para não cometer o engano de confundir eventos puramente de Relações Públicas institucionais, com eventos comerciais e mercadológicos.
A Resolução existe e deve ser respeitada, para tanto deve ser entendida na sua total abrangência..
“1) Utilizar a Comunicação Institucional, criada exclusivamente para formar imagem positiva em torno de uma organização, empresa ou pessoa. Onde, o tipo de linguagem adotada para transmitir informações e o nível de abordagem representar o conjunto de conceitos de uma organização, como filosofia, valores, missão, visão, políticas, pensamentos, condutas, posturas e atitudes, tanto do ponto de vista ético-moral quanto administrativo, em todos os níveis da organização.
A linguagem institucional é aquela que trata esses assuntos com isenção comercial ou mercadológica, atendo-se, apenas, a identificar, demonstrar e apresentar os conceitos ligados aos temas próprios da organização, com a intenção de informar e satisfazer os interesses de um ou mais públicos ligados à empresa e os dela próprios que tenham caráter informativo para construir e manter imagem das Organizações, Empresas e Instituições.”
As Agências que hoje trabalham com eventos, além de outras ferramentas da comunicação, prestam este serviço com base na Comunicação ao Vivo, por isso são chamadas Agências de Live Marketing. Elas que têm como eixo principal a interatividade e a experiência em ações pontuais com foco comercial ou mercadológico; e que não atuam apenas no conceitos ligados a temas institucionais.
E que portanto não se limitam na construção ou na manutenção da imagem das organizações, empresas e instituições, estão preparadas para gerar volume e construção de marca.”
Kito Mansano, presidente da AMPRO – Associação de Marketing Promocional e sócio-diretor da Rock Comunicação

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *