Turismo brasileiro está mais competitivo

[Por Agência Sebrae, 02/12/2013]
O turismo brasileiro está mais competitivo. O país obteve este ano a maior nota desde que foi criado o Índice de Competitividade do Turismo Nacional, ferramenta desenvolvido pelo Ministério do Turismo, Sebrae e Fundação Getúlio Vargas (FGV) para mensurar o nível de desenvolvimento do setor. Os dados foram divulgados na tarde de segunda-feira (2), em Brasília, pelas três instituições parceiras.
A nova edição do Índice aponta que houve aumento nos três grupos analisados: média nacional (de 52,1 para 58,8), média das capitais (de 59,5 para 66,9) e média das não capitais (de 46,9 para 53,1). São considerados dados de 2008 e 2013, respectivamente. O índice mede a competitividade dos 65 Destinos Indutores do Desenvolvimento Turístico do país, para elevar o turismo à condição de atividade econômica essencial ao desenvolvimento. A metodologia foi elaborada levando em consideração conceitos do Índice de Competitividade do Fórum Econômico Mundial, que avalia diversas dimensões do setor em escala global.
As cidades que apresentaram os melhores resultados foram São Paulo (80,3), Porto Alegre (79,8) e Rio de Janeiro (78,7), em uma escala que varia de 0 a 100. “O índice nos permite avaliar o estágio real de desenvolvimento do turismo em cada município ou destino, entender onde as políticas de incentivo funcionaram e onde elas precisam ser repensadas. Serve para orientar a gestão pública tanto em nível local como federal”, diz o ministro do Turismo, Gastão Vieira.
A gerente-adjunta de Serviços do Sebrae, Ana Clévia Guerreiro, destaca que a instituição utiliza os resultados do Índice para planejar suas ações. “Esse trabalho realizado em parceria com o MTur tem a finalidade de melhorar o processo de gestão do turismo nos territórios, o que impacta positivamente no ambiente econômico para os pequenos negócios”, afirma Ana Clévia.
Segundo o Índice de Competitividade do Turismo Nacional, a capital que mais evoluiu foi Vitória (de 66,7 para 73,9), considerando os dois últimos dados da pesquisa, 2011 e 2013. A cidade se destacou especialmente no segmento capacidade empresarial (90,2) pela presença de instituições de ensino de formação técnica. Também obteve destaque em economia local (87,3), pelos benefícios de isenção ou redução de impostos para o setor.
O Índice oferece dados fundamentais a gestores públicos, estudiosos, empresários e demais envolvidos na indústria do turismo. “Posso dizer que temos mais segurança em nossos planejamentos. A série histórica permite um olhar apurado sobre os municípios”, afirma o secretário nacional de Políticas de Turismo, Vinícius Lummertz. O estudo avaliou a evolução de 13 aspectos que compõem a atividade turística, como infraestrutura geral, qualidade de acesso, serviços e equipamentos turísticos e atrativos.
Premiação
Na noite desta segunda-feira (2), as cidades brasileiras que mais evoluíram em competitividade serão premiadas em uma solenidade que contará com a presença do ministro do Turismo, Gastão Vieira, e do presidente do Sebrae, Luiz Barretto.
Entre os 65 destinos monitorados, 18 são premiados: Vitória (ES), Porto Velho (RO), Florianópolis (SC), Campo Grande (MS), Goiânia (GO), Rio Branco (AC), Maceió (AL), Cuiabá (MT), Aracaju (SE), Porto Alegre (RS), Corumbá (MS), Lençóis (BA), Mata de São João (BA), Ilhabela (SP), Pirenópolis (GO), Cáceres (MT), Tiradentes (MG) e Ipojuca (PE). Cada uma dessas cidades foi reconhecida pelo bom desempenho em pelo menos um dos 13 quesitos avaliados.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *