Sergipe ganha Câmara Empresarial de Turismo

[Por FBHA, 13/12/2013]
A Federação do Comércio de Sergipe (Fecomércio-SE) passou a contar, em 19 de novembro, com mais um instrumento de desenvolvimento para o turismo do estado, a Câmara Empresarial de Turismo (CET) de Sergipe. O evento de lançamento da CET reuniu empresários, profissionais e representantes de entidades do setor. O presidente da Fecomércio-SE, Abel Gomes da Rocha Filho e o coordenador da Câmara Empresarial de Turismo da Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC), Alexandre Sampaio, deram posse ao coordenador da câmara sergipana, Luiz Simões de Faria, empresário do setor há 16 anos e atual vice-presidente do Sindicato de Hotéis, Bares, Restaurantes e Similares (SHRBS).
Alexandre Sampaio falou sobre a importância econômica das atividades turísticas. “A CNC nos últimos dois anos tem incentivado e promovido uma série de eventos de turismo em todo o Brasil. Nós entendemos que o comércio e o turismo estão umbilicalmente ligados e é inexorável que atuem juntos, com benefícios próprios, num crescimento estrutural e contínuo”, afirmou. O recém-empossado coordenador da CET-SE, Luiz Simões, falou da importância de integrar a cadeia produtiva do turismo, composta por diversas atividades econômicas. “Acho que o nosso grande desafio é conseguir um colegiado que realmente atue no sentido de integrar essas entidades, para formular e propor políticas e subsídios para o Poder Público”, disse Simões.
Encerrando a solenidade, Abel Gomes disse que a Câmara de Turismo é composta por oito entidades do trade turístico sergipano. “A CET-SE tem por finalidade principal, subsidiar a ação política da Fecomércio, apresentando adequações de interesse do segmento do turismo em proposições que tramitam ou venham a tramitar nas três esferas do Poder Público. Todos os integrantes do trade conhecem as dificuldades que o setor enfrenta, em detrimento de outros Estados, a exemplo da Bahia, Alagoas e Pernambuco. Agora, com a implantação dessa câmara, vamos tentar minimizar essas dificuldades, uma vez que passaremos a conhecer melhor os problemas que nos afetam”, concluiu o presidente da Fecomércio-SE.