Centro de eventos de Porto Alegre terá R$ 60 milhões da União

[Por Jornal do Comércio, 22/11/2013]
Um recurso de R$ 60 milhões do Ministério do Turismo (MTur) deve garantir o início das obras de um centro de convenções e feiras na Capital.
O anúncio foi feito pelo titular da Secretaria Municipal de Turismo (SMTur), Luiz Fernando Moraes, durante reunião de mantenedores do Porto Alegre & Região Metropolitana Convention & Visitors Bureau (POA CVB). “Será maior do que os que já existem, inserindo a Capital em nível de competição superior ao atual, em termos de limitação de espaço”, garante o secretário.
O projeto prevê área de no mínimo dez hectares livres, com solo compatível e mobilidade apropriada. Sem revelar a localização da obra, ele sinaliza que a meta da pasta é concluir os estudos de mobilidade e impacto ambiental, econômico e social, além do projeto arquitetônico até metade do ano que vem.
“A obra será modulada, porque R$ 60 milhões servirão somente para o começo”, aponta o secretário, explicando que o equipamento completo deve contar com um centro de convenções com capacidade para 6 mil pessoas sentadas e 30 mil metros quadrados de pavilhões para feiras, além de espaços para áreas de alimentação, estacionamento, entre outros. No total, a obra deve custar em torno de R$ 150 milhões.
Autorizado e empenhado via PAC do Turismo, o recurso que irá garantir a construção do primeiro módulo do centro de convenções e feiras público de Porto Alegre foi anunciado pelo Ministério do Turismo em julho deste ano. Um pacote de investimentos do governo, na ordem de R$ 461 milhões, prevê obras de reforma ou construção de 11 equipamentos do gênero no Brasil, contemplando destinos como Teresina (R$ 40 milhões), Maceió (R$ 20 milhões), Manaus (R$ 40 milhões), Pirenópolis (R$ 36 milhões), Paraíba (R$ 50 milhões), Curitiba (R$ 50 milhões), Natal (R$ 30 milhões), Camboriú (R$ 55 milhões), Aracaju (R$ 20 milhões) e São Paulo (R$ 60 milhões), além de Porto Alegre (R$ 60 milhões).
De acordo com a legislação, a contrapartida pode variar entre de 8% e 20% do valor total do recurso previsto. No caso de Porto Alegre, a prefeitura deverá entregar todas as documentações jurídicas e de engenharia para a Caixa Econômica Federal, que é a gestora do termo de compromisso com o MTur, e realizar a licitação da obra. Depois disso, o município estará apto a receber a verba de acordo com a medição da obra.
Mesmo que os valores não sejam suficientes para erguer a estrutura completa na capital gaúcha, ainda não há expectativa para a ampliação destes recursos, conforme o secretário nacional de programas de Desenvolvimento do Turismo do Mtur, Fábio Mota.
Atividades atraíram R$ 170 milhões à economia da Capital em quatro anos, segundo o POA CVB
O encontro em Porto Alegre marcou o encerramento da gestão da empresária Berenice Lewin, que esteve à frente da instituição nos últimos quatro anos. Durante este período, o POA CVB captou 71 eventos de um total de 600 trabalhados. “Foram necessárias mais de 670 reuniões, entre outros encontros com entidades, para chegarmos a este número”, destacou a presidente da instituição.
O impacto do trabalho representou um total de R$ 170 milhões para a economia da cidade. Desde 2009, o POA CVB manteve ritmo anual de 20 eventos captados e garantiu que a capital gaúcha entrasse para o ranking das dez primeiras do ICCA (maior banco de dados do mundo na área de turismo e eventos) perdendo, no País, apenas para São Paulo, Rio de Janeiro e Brasília.
O mais recente resultado das captações da Instituição no período consolidou-se em outubro, quando o 20º Campeonato Mundial de Atletismo Master (WMA) respondeu pelo desembarque de 4,5 mil participantes (de 82 países) na Capital, gerando 20 mil pernoites para a hotelaria e movimentando R$ 18 milhões no período. “Este evento foi um marco para Porto Alegre”, avaliou a dirigente da entidade.
“O sucesso do WMA, que teve repercussão internacional, prova que estamos preparados para receber outros eventos”, avaliou o secretário estadual do Esporte e Lazer, Kalil Sehbe. “Os eventos esportivos são uma grande oportunidade de negócios para a Capital, que conta com pista de atletismo (Centro Estadual de Treinamento Esportivo), piscina olímpica com certificação internacional (Grêmio Náutico União), estádio e arena de futebol de padrão mundial, além de complexos esportivos em preparação para esta atividade”, valorizou Sehbe.
A gestão de Berenice deixa o legado de 34 eventos captados para os próximos três anos, com impacto econômico estimado em R$ 34,3 milhões e previsão de 56,9 mil visitantes de fora de Porto Alegre. A área médica foi um dos destaques do segmento de eventos.
“O POA CVB é o grande motor da área de turismo de eventos da Capital”, afirmou Luiz Fernando Moraes. O secretário lembrou que o segmento abrange esportes, cultura, passeios náuticos, congressos e seminários.
Para fomentar ainda mais esta área, diversas secretarias municipais estão envolvidas em projeto que prevê a construção de um centro público para feiras e convenções.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *