Serviços têm mais força no Ceará que no Nordeste

[Por Diário do Nordeste, 13/10/2013]
Com participação de 70% do Valor Adicional Bruto (VAB) do Estado, serviços tem mais força no Ceará que no Nordeste (68,4%) e no Brasil (66,7%), conforme estudo do Itaú Unibanco. A economista da instituição financeira, Mariana Orsini, destaca que o setor tem representatividade maior na economia cearense que em outros estados do País.
Segundo o documento “Economia cearense deve crescer acima da média nacional nos próximos anos”, do Itaú, serviços abriga 38,7% dos empregos formais do Ceará. “Entre 2009 e 2010, a receita bruta do setor de serviços apresentou crescimento anual de 19,4% no Estado, sendo que esse crescimento foi impulsionado principalmente pelas atividades imobiliárias (51,6%) e serviços prestados às empresas (46,1%). Em termos de números de empresas, pessoas ocupadas e salários, a participação do Ceará no Nordeste é em torno de 17% e, no Brasil, em torno de 2%”, indica o estudo da instituição financeira.
Por outro lado, alguns setores apresentaram menor participação na distribuição do VAB no Estado. Dentre eles estão a agropecuária (4,4%) – inferior a do Nordeste (6,8%) e a do País (5,6%) – e indústria (25,6%), maior que o Nordeste (24,6%) e abaixo do Brasil (27,7%).
Outro ponto destacado pelo estudo do Itaú Unibanco é que Fortaleza foi o nono município brasileiro em termos de Valor Adicional Bruto no setor de serviços em 2010, com mais de R$ 25 milhões. A Capital cearense e Maracanaú também estiveram entre os municípios com maior VAB na indústria no País, ficando em 17° lugar (R$ 6,8 milhões) e 98° lugar (R$ 1,8 milhões), respectivamente.
Turismo
Mariana Orsini lembra que, com o levantamento, é possível direcionar de forma mais adequada os negócios, sobretudo no setor de maior força. “Muita gente às vezes não sabe da importância que os serviços tem para o Estado e das possibilidades de investimentos principalmente no turismo – que atrai muitas pessoas do Brasil. O Ceará tem bastante lugar para visitar e o estudo traz essa informação”, comenta.
De acordo com o documento do banco, Fortaleza recebeu, em 2011, 1,1 milhão de turistas brasileiros e estrangeiros para turismo de lazer, 235 mil para turismo de negócios e 158 mil para convenções e eventos. A taxa de ocupação da rede hoteleira fica mais alta nos meses de janeiro e julho, devido às férias escolares.
As principais regiões de origem dos turistas na Capital cearense naquele ano foram Sudeste (39,5%) e Nordeste (35,9%).
Em relação aos visitantes estrangeiros, 27% eram da Itália e 20% de Portugal. Os municípios de Aquiraz, Aracati, Caucaia, Jijoca de Jericoacoara e Trairi também são indicados no estudo como importantes para o turismo no Estado.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *