Pesquisa aponta potencial para turismo de eventos e negócios em Maringá (PR)

[Por Portugal Digital, 05/10/2013]
Uma pesquisa por amostragem constata que Maringá, município localizado no Estado do Paraná, tem vocação e grande potencial para o turismo de negócios e eventos. Para melhor aproveitar as oportunidades, porém, o segmento precisa enfrentar alguns desafios, como a construção de pelo menos um centro de convenções e exposições, a criação de políticas públicas para apoio à captação de eventos, e o fortalecimento do marketing, destacando Maringá como destino.
A avaliação é da consultora de turismo de negócios e eventos, Vaniza Schuler, que coordenou a aplicação do levantamento junto às empresas do trade turístico de Maringá, encomendado pelo Sebrae/PR e parceiros. A especialista também conduziu a apresentação dos resultados preliminares da pesquisa, já que ainda é possível agregar mais informações no diagnóstico.
A palestra foi ministrada durante o 6º Congresso de Turismo do Noroeste do Paraná – Fórum de Criatividade Empreendedora, realizado nesta semana, último dia 3, em Maringá.
Para Vaniza Schuler, um dos pontos positivos do Turismo MICE – Negócios e Eventos de Maringá são as expertises reconhecidas, em especial nas áreas de vestuário, agronegócio e saúde, que atraem espontaneamente os turistas. “O setor só precisa se atentar para atender adequadamente esse público interessado. Uma oportunidade é organizar roteiro de visitas técnicas nas empresas, ramo ainda pouco explorado e com grande potencial”, enfatizou.
No setor do vestuário, por exemplo, a consultora citou que Maringá é o segundo maior polo confeccionista do Brasil, com shoppings atacadistas exclusivos e facilidades para compradores. “Mesmo com a força do segmento, ainda há a possibilidade de explorar melhor o conceito de moda, de atrair mais eventos deste segmento e de diversificar os compradores.”
No campo de viagens de incentivo, que são aquelas em que as empresas oferecem como prêmio aos funcionários, Maringá apresenta algumas estruturas apropriadas, mas ainda são pouco exploradas para esse fim. “O Parque do Japão, por exemplo, é um local memorável e que pode ser trabalhado para o turismo de incentivo”, exemplificou a palestrante.
Outros ramos que projetam oportunidades são as conferências e convenções, porque Maringá é um centro acadêmico e conta com grande quantidade de empresas instaladas na região. As exposições também têm força na cidade por já contar com estrutura física e feiras tradicionais e reconhecidas. E os eventos esportivos, que podem ganhar cada vez mais espaço no turismo.
“Maringá tem explorado suas diversas possibilidades de turismo em negócios e eventos. Muito já foi feito, mas, para profissionalizar e desenvolver ainda mais, é preciso se atentar aos detalhes importantes, como o investimento em divulgação, em especial na internet, e a organização de informações técnicas e de infraestrutura para facilitar a atração de eventos”, reforçou Vaniza Schuler.
O gerente da Regional Noroeste do Sebrae/PR, Luiz Carlos Silva, afirma o Programa Paraná Turismo MICE – Negócios e Eventos, promovido pela entidade, e a realização da pesquisa são ações que visam organizar e fortalecer o setor para atrair negócios.
“Maringá tem força em áreas como o comércio, os serviços e os centros acadêmicos. Nossa expectativa é de que essa pesquisa nos direcione para o caminho certo, porque a partir desses dados teremos base para planejar estratégias que desenvolvam com eficácia a vocação turística da cidade”, completou Luiz Carlos Silva.
E para dar sequência a esses trabalhos, em breve, entidades representantes do trade turístico devem se reunir para desenvolver o plano de ações a partir das informações do cenário atual do setor de turismo de eventos e negócios.