Vontade de viajar cresceu mais entre os belo-horizontinos

[Por MTur, 17/09/2013]
De acordo com o último levantamento feito pelo Ministério do Turismo, em parceria com a Fundação Getúlio Vargas, a cidade que mais registrou aumento das intenções positivas de viagem foi Belo Horizonte (de 30,4% para 37,9%). Na sequência estão Brasília (de 35,1% para 42,3%), Recife (de 23,9% para 26%) e Salvador (27,4% para 29,4%). Verificou-se declínio em Porto Alegre (33,3% para 30,4%), Rio de janeiro (de 26,2% para 22,8%) e São Paulo (de 29,3% para 29,2%).
A pesquisa se chama Sondagem do Consumidor – Intenção de Viagem e contém informações coletadas com dois mil cidadãos em sete capitais do país: Belo Horizonte, Brasília, Porto Alegre, Recife, Rio de Janeiro, Salvador e São Paulo. O estudo, feito em agosto, mede a intenção de viagem dos entrevistados nos próximos seis meses.
“O desejo do brasileiro de viajar pelo próprio país cresceu. Cabe ao governo e setor produtivo trabalhar para o turista ter um bom nível de serviço e manter a vontade de visitar novos destinos no Brasil, gerando emprego, renda e inclusão social”, afirma o ministro do Turismo Gastão Vieira.
Mais da metade dos entrevistados que manifestaram desejo de viajar (53,7%) escolheram a região Nordeste. A região lidera a intenção de viagem com mais que o dobro de pretendentes que a região Sudeste (19,7% das intenções) e o triplo da região Sul (15,5%). Sozinha, a região Nordeste atrai mais turistas que todas as outras quatro regiões somadas.
Os meios de hospedagem alternativos também conquistam espaço entre os viajantes. A procura por casas de amigos e parentes aumentou de 35,1% para 37,8% no último ano (de agosto de 2012 a agosto de 2013). Ela é ainda mais expressiva entre os viajantes que ganham até R$ 2.100 (64,9%) e com renda entre R$ 2101 a R$ 4.800 (49,1%).
A Sondagem do Consumidor – Intenção de Viagem contém informações coletadas com dois mil cidadãos em sete capitais do país: Belo Horizonte, Brasília, Porto Alegre, Recife, Rio de Janeiro, Salvador e São Paulo. O estudo, feito em agosto, mede a intenção de viagem dos entrevistados nos próximos seis meses.